Policial voltar para a home

Mirou no meu peito’, diz baleado em frente à casa noturna na capital de MS Mirou no meu peito’, diz baleado em frente à casa noturna na capital de MS

Jovem de 25 anos foi atingido por tiro na perna na quinta-feira.
Ele diz que confusão começou no estacionamento da boate.

“Mirou no meu peito, bati na arma e [o tiro] pegou na minha perna. Veio outro rapaz em cima de mim, foi quando empurrei ele em cima do outro cara e sai correndo. Ele deu mais uns três ou quatro disparos na minha direção”, lembrou o jovem de 25 anos baleado na perna durante uma confusão, em frente a uma casa noturna de Campo Grande.

Na calçada da casa noturna ficaram manchas de
sangue (Foto: Nadyenka Castro/G1 MS)

O caso aconteceu na madrugada de quinta-feira (17), nos altos da Avenida Afonso Pena. A vítima está internada na Santa Casa e fez cirurgia, conforme informado pela assessoria de imprensa do hospital.

Ao G1, o rapaz contou que a confusão começou na saída do estacionamento, já do lado de fora da boate, e foi presenciada por várias pessoas. “Não sei se ele [suspeito] estava bravo com o pessoal que estava demorando para pegar o carro dele. Sei que ele olhou para mim e perguntou o que eu estava olhando e já veio para cima”, explicou o jovem.

Em seguida, contou a vítima, ele e o suspeito trocaram agressões. O pai do jovem tentou separar a briga e foi atingido por uma garrafada na cabeça. Depois disso, o rapaz foi embora com um amigo.

Pensando que o pai ainda estivesse no local da confusão, ele decidiu voltar. No entanto, o pai o seguia em outro veículo e também voltou à casa noturna. Todos se reencontraram e a confusão recomeçou.

“Parei o carro em fila dupla, do lado do carro dele [suspeito] sem saber que era ele que estava dentro do veículo, pegando alguma coisa. Ouvi algumas pessoas avisando para ele que eu tinha voltando e vi que ele pegou a arma e apontou para mim. Depois que eu fui atingido, meu pai me colocou no carro dele e me trouxe para a Santa Casa”, finalizou.

A vítima afirmou também que não conhece o suspeito. Até a publicação desta reportagem nenhum suspeito havia sido identificado. No local da confusão ficaram manchas de sangue e cacos de vidro.

G1
Grampo revela que PCC tem um pé na política Grampo revela que PCC tem um pé na política

Autoridades e especialistas não têm dúvidas de que facção investirá recursos e material humano para apoiar candidatos simpáticos ao sistema prisional nas eleições deste ano

Com o controle de 90% da massa carcerária paulista e a hegemonia dos negócios do crime (tráfico de drogas e roubos contra o patrimônio), o Primeiro Comando da Capital (PCC) está agora colocando um pé na política. Autoridades e especialistas não têm dúvidas de que nas eleições deste ano a facção investirá recursos e material humano para apoiar candidatos simpáticos ao sistema prisional.


Divulgação/Alesp
Acusado de envolvimento com o PCC, o deputado Luiz Moura tenta reaver sua vaga da reeleição

O principal indício da busca de espaço político está em um pequeno trecho da denúncia formalizada contra a cúpula da facção, no ano passado, pelo Ministério Público de São Paulo. As decisões foram tomadas pelos líderes, presos em Presidente Venceslau, e estão documentadas em quase 900 páginas do inquérito, onde sobram evidências de que o PCC – conforme escrevem os promotores com base em transcrições de conversas telefônicas – busca “aproximação com políticos e autoridades”.

“Soriano (Roberto Soriano, um dos cabeças da facção) diz que vão usar essa eleição para adquirir experiência”, relatam os promotores, de acordo com diálogos travados às vésperas do pleito de 2010, nos quais os chefões da facção conversam sobre a possibilidade de eleger um deputado.

O candidato seria um homem ou uma mulher vinculado à “sintonia dos gravatas”, que é como eles chamam os advogados que trabalham para a facção. Os presos avaliam que o importante é não dividir forças e recomendam o envio de um “salve”, ordenando que todos os detentos provisórios com direito a voto se unam em torno do candidato recomendado. A mesma ordem também vale para as favelas onde o PCC tem influência.

Na transcrição, Soriano conversa por celular com outro preso, Francisco Tiago Augusto Bobo, conhecido como Cérebro, e diz que um terceiro detento, a quem trata por Veinho e Barbará (Cláudio Bárbara da Siliva), “vai encostar em você mais tarde, a respeito daquelas ideias que vai (sic) precisar de um apoio e tal daquela pessoa que a gente vai tentar colocar uma cadeirinha lá (pode ser na Assembleia Legislativa de São Paulo), daquela caminhada da política…O Barbará vai ligar para você pra pedir um apoio… ligar (também) para o Renatinho (Fábio Santos de Oliveira) porque no final de semana vai chegar um salve na rua pro Mateus dos gravatas (setor dos advogados). Aí pede para ele no que ele pedir, porque vai fazer aquele apoio na favela”.

Em outro diálogo, de agosto de 2010, outro preso, Judeu, também conhecido por Cego (Daniel Vinicius Canonico), diz para Soriano que “o Boca de Ovo (Abel Pacheco de Andrade) mandou uma carta referente a uma caminhada do negócio do voto… Ele (Abel) sugeriu uma gravata. Se não desse certo essa gravata seria um outro”.

Ainda de acordo com a transcrição, Soriano confirma: “É isso mesmo, é o R”. Cego diz que “esse outro gravata (R.) não está trabalhando no quadro (de advogados da facção) e neste momento não está tendo muito trampo pra ele mesmo.

Por nós demorou de falar com ele (trabalhar neste campo político)”. Soriano diz que “nesses bagulhos não podem dividir (forças), esse assunto está na mão do Tico (Airton Ferreira da Silva) e do Barbará. Já mandaram, inclusive, carta para chegar nos CDPs (Centros de Detenção Provisória) um salve de conscientização”.

Cego diz que “cada sintonia de CDP faça um levantamento rápido de quem está no direito e quem não está e passar (resultado) e o Mateus puxar o bonde, mas vamos puxar o bonde com esse cara aí (R.) que foi falado mesmo”.

Expansão

As discussões captadas em grampo autorizado pela Justiça mostram que em 2010 o PCC estava partindo para uma nova fase. As referências sobre os CDPs revelam que eles sabem que a Constituição só permite que preso não condenado tenha direito a voto.

A facção já havia dominado os presídios, expandido sua influência para as regiões pobres da periferia e providenciado fachada legal para os lucros do crime. Em 2014, depois de duas décadas de existência, a política daria um lustre à facção.

“Não acredito que o PCC pretenda se colocar como força política ou eleger representantes que defendam a sigla. O que acho que a organização pretende é ajudar a eleger pessoas que defendam reivindicações voltadas para o sistema prisional – como direitos humanos e o fim do encarceramento massivo e da violência policial – e levem assistência para a periferia”, diz a socióloga Camila Dias, professora da Universidade Federal do ABC.

Segundo ela, não é possível vislumbrar o envolvimento de partidos com a facção. No caso de São Paulo, embora seja visível que PT e PSDB estejam ensaiando uma disputa em que PCC deve ser o mote, a exploração do tema pode ser ruim para os dois – em especial aos tucanos, em cujo governo a facção floresceu e se consolidou.

No caso do deputado estadual Luiz Moura (PT), que teria participado de uma reunião com a presença de integrantes do PCC, diz Camila Dias, o PSDB tentou jogar o problema para os petistas, provavelmente para tentar anular a possível exploração do tema contra o governo estadual.

Ela acha que o PCC não tem capacidade real para eleger bancadas, mas sim de ocupar espaços elegendo políticos que defendam melhoras no sistema prisional. “O PCC não ganharia nada com isso”, afirma. Moura nega envolvimento com a facção e trava uma batalha na Justiça para reconquistar a vaga da reeleição.

Representante da Polícia Militar, o deputado Major Olímpio (PDT) diz que é difícil mensurar números, mas não tem dúvidas de que na Grande São Paulo e em municípios do litoral há prefeitos e vereadores eleitos com o apoio do PCC. Segundo ele, se as instituições são reconhecidamente impotentes para barrar o avanço da organização no crime, mais difícil ainda é estabelecer um filtro para não contaminar a política.

“Essa organização cresce graças à conduta omissiva do governo e do judiciário. O preocupante é a infiltração do PCC nas instituições. Os criminosos entram em concursos públicos até na polícia e financiam candidatos em todos os níveis”, diz o deputado. Segundo ele, há preocupação com infiltração inclusive nas Forças Armadas. “O governo não quer assumir que perdeu o controle dos presídios e da violência”, afirma.

Nesta semana, uma operação da Polícia Civil prendeu 39 integrantes do PCC e descobriu o envolvimento de 30 policiais – a maioria militares – com a organização. O esquema de corrupção está sendo investigado pelas corregedorias das duas corporações.

Vereador

A dificuldade da Justiça em fechar as portas da política para criminosos está na Constituição, que não permite a impugnação de candidaturas sem que a sentença seja definitiva. Pela tradicional lentidão da Justiça, a conclusão, com a inelegibilidade, ocorre normalmente quando o eleito já cumpriu o mandato.

No mês passado, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou o mandato do suplente de deputado federal pelo PSC Claudinei Alves dos Santos. Conhecido por Ney Santos, ele foi indiciado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, adulteração de combustível, sonegação fiscal e acusado pelo delegado Raul Godoy Neto, atualmente lotado no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), de ligações com o PCC.

Apesar disso, Santos, vereador em São Paulo, é um político livre. Chegou a ser detido poucos dias antes do pleito de 2010, mas negou, foi liberado, disputou e conquistou uma suplência na Câmara. Dois anos depois, elegeu-se o vereador de Embu das Artes, o mais bem votado em São Paulo.

Em 2003, foi preso pelo roubo de malotes de uma transportadora de Marília, no interior paulista, em cuja ação atuou armado com uma metralhadora 9 milímetros. Ficou três anos preso e, entre 2006 e 2010, construiu uma fortuna estimada pelas autoridades em R$ 100 milhões.

O motivo da cassação da suplência foi a compra de votos por combustível na eleição de 2010 e não as supostas relações com a facção ou com o assalto no interior paulista. A decisão tornou Santos inelegível por oito anos, mas não mexeu no seu mandato de vereador de Embu, onde também responde por compra de votos.

A Procuradoria Regional Eleitoral paulista organizou uma força-tarefa para a operação pente-fino que vai cruzar informações para checar a vida pregressa de 3.300 candidatos paulistas com base na Lei da Ficha Limpa.

Será o mais intenso processo de depuração da história política no País, mas a lei e as instituições de controle não serão capazes de evitar que organizações criminosas participem das eleições – o que ajuda a ampliar o fosso que separa o poder da população que grita nas ruas por ética na política.

IG
Xerifa da Rocinha poderá cumprir prisão domiciliar sem equipamento em Campo Grande Xerifa da Rocinha poderá cumprir prisão domiciliar sem equipamento em Campo Grande

A mulher do traficante Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, irá cumprir prisão domiciliar sem o equipamento de monitoramento eletrônico, no Mato Grosso do Sul.

A mulher do traficante Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, irá cumprir prisão domiciliar Foto: Divulgação/Facebook

A determinação havia sido dada, no último dia 2, pelo desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal. Mas, como o estado não possui a tecnologia, Danúbia de Souza Rangel deverá cumprir as duas prisões preventivas sem o dispositivo. Ontem, a Justiça expediu os alvarás de soltura, mas, até o final da noite, a loura continuava na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio.

Porém, questionado sobre o assunto, o Secretário de Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, o Estado ainda não foi notificado sobre a decisão. “Para recebê-la (Danúbia de Souza Rangel) o Estado precisa ser notificado pela Justiça do Rio de Janeiro, a não ser que ela seja uma presa federal”, esclarece o secretário.

De acordo com o habeas corpus, Danúbia deve ir para casa, em Campo Grande, porque tem uma filha de 4 anos que, segundo avaliação médica e psiquiátrica, vem sofrendo inúmeros transtornos desde a prisão da mãe. A criança estaria abalada emocionalmente e estaria impedida de frequentar as aulas na escola. O magistrado alegou acatar o pedido da defesa da mulher de Nem porque o direito à convivência familiar é “tão importante quanto o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito e à liberdade”.

Danúbia está presa, desde o dia 31 de março, quando foi surpreendida por agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE) da Polícia Federal, em sua casa, no Mato Grosso do Sul, durante a Operação Maioridade. Na época, as investigações mostraram a ligação de Nem, que está em penitenciária federal do estado, e de sua quadrilha com criminosos ligados a Marcelo Santos das Dores, o Menor P, que também foi detido. A jovem também está presa preventivamente depois de ser denunciada, no processo sobre a Operação Paz Armada, na favela da Rocinha, em julho do ano passado.

Viatura da PM capota ao bater contra carro de passeio em Campo Grande Viatura da PM capota ao bater contra carro de passeio em Campo Grande

Acidente aconteceu no cruzamento da Barão com a Pedro Celestino.
Segundo informações da polícia, ninguém ficou ferido.

Uma viatura da Polícia Militar capotou ao bater contra um carro de passeio na tarde desta quarta-feira (16), no cruzamento das ruas Pedro Celestino e Barão do Rio Branco, região central de Campo Grande. Segundo informações do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), ninguém ficou ferido.

Viatura da PM que bateu contra um carro (Foto:
Maria Ercília Miranda Regina / arquivo pessoal)

A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros informou que uma ambulância chegou a ser encaminhada ao local, mas a equipe constatou que todas as vítimas estavam ilesas.

Conforme o Ciops, o trânsito no local foi interditado. Uma equipe do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) foi para o local. É aguardada a chegada de peritos para analisar o local, procedimento padrão em casos de acidentes envolvendo carros oficiais. Não há informações sobre as circunstâncias do acidente.

G1
Rapaz é preso por emprestar arma usada no assassinato de encarregado de obras Rapaz é preso por emprestar arma usada no assassinato de encarregado de obras

A Polícia Civil apreendeu dois adolescentes, de 16 e 17 anos, por posse ilegal de arma na madrugada desta quarta-feira (16), no bairro Los Angeles, em Campo Grande.

Arma apreendida pelos policiais durante a ação. (Foto: Divulgação/PM)

O revólver foi encontrado em um terreno ao lado da casa dos garotos, que são irmãos. Segundo a polícia, a suspeita é que a arma tenha sido utilizada no assassinato do encarregado de obras Alcides Pedro Farias, 60 anos., na mesma região da cidade.

A polícia apreendeu os adolescentes após receber uma denúncia. Os irmãos afirmaram que adquiriram a arma, mas negaram o envolvimento no latrocínio, ocorrido na última sexta-feira (11).

Homens do 10º Batalhão Tático receberam denúncia de que a arma poderia estar em uma casa no Los Angeles. No local relatado pelo informante, os policiais encontraram Alessandro Santos da Silva, 23 anos, que assumiu ter emprestoado o revólver calibre 38 para para dois homens identificados apenas como “Cabuloso” e “Caveirinha”, possíveis autores do crime que estão foragidos até o momento.

Os três envolvidos foram levados para a delegacia para prestarem esclarecimentos.

Mais prisões

Ainda durante a madrugada de ontem, o Tático da PM prendeu Carlinda Verônica dos Santos, de 49 anos, e Andressa Verônica da Silva, de 26 anos, respectivamente mãe e irmã de Alessandro.

A primeira estava evadida da cadeia, já a segunda, possui mandado de prisão em aberto. O flagrante aconteceu na casa delas, na Rua Agnelo Souza Castro, também no Los Angeles.

Crime

Alcides Pedro Farias morreu com um tiro na altura do ombro.

Encarregado de obras foi morto durante o trabalho. (Foto: Marcelo Calazans)

O homem trabalhava em uma obra na Rua Aristides Lobo, quase esquina com a Rua Engenheiro Paulo Frontin, no Uirapuru.

A polícia trabalha com a hipótese de tentativa de latrocíonio, já que o encarregado de obras estaria com R$ 10 mil, quantia que seria utilizada no pagamento de operários.

 

Polícia identifica mulher que fez selfie com tablet furtado em Campo Grande Polícia identifica mulher que fez selfie com tablet furtado em Campo Grande

A Polícia Civil identificou a mulher, de 34 anos, que fez um auto retrato com um tablet furtado em Campo Grande. O titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil, Alexandre Amaral Evangelista, que investiga o caso, disse que ela deve prestar depoimento nesta quarta-feira (16).

Foto de mulher misteriosa foi enviada a partir de tablet furtado. (Foto: Divulgação)

Ao delegado, a mulher disse que viu o tablet cair de uma motocicleta e pegou. Ela relatou que acenou para o motociclista, mas ele não parou. Ela procurou a polícia ao ver as notícias sobre o furto na imprensa.

O delegado ressalta que se o objeto não for devolvido no prazo de 15 dias, a mulher responderá pelo crime de apropriação de coisa achada.

O proprietário Arthur Rodrigo Rehbein, 24 anos, descobriu que o produto foi furtado após receber uma selfie, enviada para uma conta de e-mail vinculada ao tablet.

O estudante disse que na manhã de segunda-feira (14), estava com seu pai que estacionou o automóvel em frente a uma loja de materiais de construção localizada na Avenida Coronel Antonio, no Jardim Monte Castelo. O tablet avaliado em R$ 1.500 estava dentro do veículo.

Ainda segundo o estudante, o autorretrato e outras três fotos chegaram ao e-mail do pai dele, por volta das 22h. Ao verificar o caso, notou que o dispositivo havia sido furtado e comunicou o fato ao 2° Distrito Policial da Capital

A Polícia Civil aguarda as imagens feitas pelas câmeras de segurança da casa onde o carro estava estacionado. O vídeo mostra a ação da pessoa que fez o furto.

Evangelista explicou ainda que, caso fique comprovado que a mulher comprou o tablet sabendo da origem ilícita, responderá por receptação. Caso fique provado que ela participou do furto, responderá por furto.

Ainda segundo o delegado, a mulher tem passagem pelos crimes de apropriação indébita, associação criminosa e desobediência.

Com Informações G1
Policiais fazem megaoperação no Complexo do Alemão no Rio Policiais fazem megaoperação no Complexo do Alemão no Rio

Policiais fazem megaoperação no Complexo do Alemão no Rio

 

Cerca de 500 policiais militares fazem, desde às 4h30 desta quarta-feira, uma grande operação de cerco e varredura em todas as comunidades integrantes do Complexo do Alemão, subúrbio do Rio de Janeiro. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), a operação deve seguir até o fim da manhã. Desde o início da implantação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do complexo, quatro policiais militares morreram em confrontos com criminosos.

Um helicóptero auxilia os agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Ações com Cães (BAC), Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e do Grupamento Aeromóvel (GAM), além do efetivo de diversas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) que participam da operação nas favelas do Alemão.

A finalidade é localizar os esconderijos dos criminosos que continuam ocupando as comunidades do Alemão e enfrentado os policiais da UPP.

Policiais iniciaram a operação no início da manhã desta quarta-feira
Foto: José Lucena / Futura Press

Inaugurada dia 30 de maio de 2012, a Unidade de Polícia Pacificadora do Alemão foi a quarta unidade instalada no Complexo. Ela atende à comunidade do Alemão, com mais de 15 mil moradores, se estendendo até a Pedra do Sapo, que sempre foi considerada ponto crítico pelo comércio intensivo de drogas. A UPP Alemão fica situada próxima aos bairros de Olaria, Higienópolis e Ramos.

A retomada do Complexo do Alemão pelas forças de segurança aconteceu no fim de novembro de 2010 e representa um marco para a segurança pública do Estado do Rio de Janeiro.

Esta foi a maior ofensiva contra o tráfico de drogas e contou com uma tropa de 2,7 mil homens, sendo 1,2 mil policiais militares, 400 policiais civis, 300 policiais federais e 800 militares do Exército. As imagens de ocupação do Alemão foram registradas pelas câmeras de TV quando dezenas de traficantes armados deixaram a comunidade a pé e de carro abandonando a comunidade às pressas.

Terra
Após receber selfie de mulher, dono descobre furto de aparelho em Campo Grande Após receber selfie de mulher, dono descobre furto de aparelho em Campo Grande

Uma selfie, enviada para uma conta de email vinculada a um tablet, ajudou o proprietário do aparelho a descobrir que o produto havia sido furtado, em Campo Grande. O caso foi registrado nesta terça-feira (15) na 2ª Delegacia de Polícia Civil da capital, onde é investigado. O estudante de 24 anos, que teve a identidade preservada disse que cerca de 7 horas depois do furto, a selfie e outras três fotos chegaram no email do pai dele, que usava o aparelho.

Após selfie de mulher com tablet, dono descobre furto do aparelho (Foto: Divulgação/ Arquivo Pessoal)

No auto-retrato, feito com o tablet, aparece uma mulher, que ainda não foi identificada pela polícia. O estudante disse que o tablet foi furtado na manhã de segunda-feira (14), de dentro do carro, na rua Coronel Antonino, junto com uma mochila e outros pertences.

“A gente não tinha sentido ainda a falta do aparelho. Meu pai descobriu ontem, quando ela [mulher da foto] fez uma selfie às 16h30″, relatou.

O estudante explicou que o tablet é vinculado a uma conta de email que recebe todas as fotos e arquivos do aparelho por meio de um backup automático, programado pelo proprietário. “A loja de aplicativos fornece esse cadastro e faz o backup”, explicou.

De acordo com o rapaz, depois receber o registro eles procuraram pelo tablet e não encontraram no carro. Em seguida, desconfiaram que o furto aconteceu pela manhã, enquanto eles desceram do veículo para entrar em uma casa.

“O carro estava aberto, a pessoa pegou uma mochila lá de dentro com o tablet e o carregador. Deve ter visto a gente chegando e descuidando de travar o carro”, lembrou.

Ainda conforme o rapaz, imagens das câmeras de segurança da casa onde eles estavam durante o furto mostram a ação da pessoa. O registro ainda será entregue à polícia.

Depois do crime, o rapaz pede para que a pessoa que aparece na foto se apresente à polícia. “Pode ser que ela não tenha a ver com o crime, ou às vezes comprou o tablet sem saber que era furtado. Gostaria que ela pudesse devolver na delegacia”, ressaltou.

Investigação

O delegado Alexandre Amaral Evangelista, da 2ª DP de Campo Grande, disse que o caso está sendo investigado. Até o momento, conforme Evangelista, a mulher que aparece na foto ainda não foi identificada.

Segundo ele, também não é possível afirmar se a mulher furtou o produto, ou comprou de outra pessoa. “Pedimos que ela se apresente na delegacia para explicar como teve acesso a esse produto. Até o momento podemos considerá-la tanto autora do furto quanto receptadora, por isso é importante ela nos explicar”, orientou. O caso foi registrado como furto. A polícia ainda não recebeu as imagens das câmeras de segurança que mostram o crime.

Com Informações G1
Suspeito de tentar matar vendedor de tintas é identificado e preso Suspeito de tentar matar vendedor de tintas é identificado e preso

A Polícia Civil prendeu na manhã desta segunda-feira (14) o suspeito de tentar matar o vendedor de tintas Marcílio de Souza Junior, o “Juninho”, de 34 anos, na quarta-feira (9), O crime aconteceu na loja Casa do Pintor localizada na Avenida Coronel Antonino, no Bairro Monte Castelo, região norte de Campo Grande.

Crime aconteceu em loja na Vila Gomes
(Foto: Juliana Aguiar/G1 MS)

De acordo com a delegada responsável pelas investigações, Ana Cláudia Medina, o suspeito pelo homicídio doloso, com intenção de morte, tem 38 anos, e cumpre pena em regime aberto por tráfico de drogas e nega a tentativa de homicídio.

A prisão do suspeito é temporária, de cinco dias. Ele foi indiciado pelo crime de tentativa de homicídio. A delegada afirma que as investigações são contundentes, porém diante da negativa de autoria, apurações complementares estão sendo realizadas.

A vítima foi atingida por três tiros e está internada na Santa Casa de Campo Grande e, conforme informações da assessoria de imprensa do hospital, passou por cirurgia, está consciente e orientada, mas ainda não há previsão de alta.

Crime

A vítima trabalhava em uma casa de tintas quando foi alvejada. Testemunhas relataram à polícia que um homem chegou ao local em uma motocicleta, entrou no estabelecimento de capacete, em seguida se dirigiu até o trabalhador e fez de quatro a cinco disparos.

Logo após o crime o suspeito fugiu na motocicleta. Conforme o Corpo de Bombeiros, o homem foi atingido por dois tiros no abdômen e outro em uma das mãos. A vítima tem diversas passagens pela polícia, entre elas homicídio, roubo e violência doméstica.

Homem perde R$ 1.170,00, celular e aliança em assalto dentro de agência bancária na Capital Homem perde R$ 1.170,00, celular e aliança em assalto dentro de agência bancária na Capital

Um homem de 45 anos foi assaltado ontem (13), às 7h30min, em uma agência bancária localizada na Avenida Eduardo Elias Zahran, em Campo Grande (MS).

Segundo informações do boletim de ocorrência, a vítima estava preenchendo um envelope para depositar dinheiro, quando foi surpreendida por um bandido armado, que disse “Não fique nervoso, não quero documentos, passe o dinheiro”.

Depois disso, o criminoso obrigou o homem a fazer dois saques de R$ 300. De acordo com a vítima, o assaltante levou R$ 1.170,00, um celular e uma aliança.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro e será investigado pela Polícia Civil.

Informação e Contato

O Jornal MS é focado em conteúdo de notícias gerais, políticas, policiais, automotivas, tecnológicas, serviços, entretenimento, esportes, além de vídeos compartilhados.

Notícias do Mato Grosso do Sul e do mundo!

Redes Sociais

Categorias mais populares