Policial voltar para a home

Novas imagens mostram briga que terminou em morte de estudante Novas imagens mostram briga que terminou em morte de estudante

A Polícia Civil divulgou na tarde desta quinta-feira (12) novo vídeo da briga em frente a uma escola pública de Campo Grande, ocorrida na quarta-feira (11), que terminou a morte de Luana Vieira Gregório, 15 anos, e outra adolescente ferida. De acordo com a delegada Regina Márcia Rodrigues, as imagens mostram o momento em que a suspeita fere Luana com faca.

Alunos são flagrados com pistola 635, soco inglês e facas em escola na Capital Alunos são flagrados com pistola 635, soco inglês e facas em escola na Capital

Quatro alunos menores de idade, dentre eles três estudantes da escola Maria Tereza Rodrigues, bairro Santo Emília, em Campo Grande, foram levados por equipe da força tática do 1º Batalhão da Polícia Militar (PM) momentos depois de serem surpreendidos com armas em sala de aula na manhã desta sexta-feira (13).

Estudantes foram levados para a Delegacia de Atendimento à Infância e Juventude Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Militares receberam denúncia anônima informando que alunos estavam armados e foram até a unidade escolar onde encontraram um aluno de 13 anos portando um soco inglês, um canivete e uma pistola calibre .635.

Questionado, o garoto disse que o soco inglês e o canivete eram seus, no entanto, negou a propriedade da arma de fogo, alegando que seria de um adolescente de 15 anos, que estuda na mesma escola, mas em outra sala de aula.

Os policiais foram então até o outro menino que disse que as armas foram pegas na casa de um terceiro aluno. A Polícia Militar foi até a casa onde um adolescente de 13 anos estava. O menino disse que os itens estavam guardados porque houve uma briga e um dos colegas andava armado.

Segundo informações apuradas pela polícia, os meninos tinham programado uma briga com uma gangue do Bairro Buriti. Já os adolescentes negam esta versão.

Os três adolescentes foram apreendidos e encaminhados para a Deaij (Delegacia Especializada no Atendimento à Infância e Juventude). Ao delegado, os meninos disseram que uma outra colega também estava com uma arma na escola, dessa vez uma faca.

Homem é morto a facadas após ‘cachaçada’ e briga no Tarumã Homem é morto a facadas após ‘cachaçada’ e briga no Tarumã

José Carlos Alberto Silva de 49 anos morreu após ser ferido com uma facada na madrugada desta sexta-feira (13), no bairro Jardim Tarumã, em Campo Grande.

Materiais utilizados nas agressões foram
apreendidos. (Foto: Gustavo Arakaki/G1 MS)

Segundo o delegado plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do bairro Piratininga, Ivahyr Luiz de Campos, a testemunha do crime Celso Luiz Santos Ferreira, estava ingerindo bebida alcoólica com a vítima e o autor identificado apenas pelo nome de Caio, no momento em que os dois começaram a discutir e iniciaram as agressões.

Durante a briga, a vítima pegou um pedaço de pau e um tijolo, enquanto o autor sacou uma faca e desferiu um golpe na região do tórax da vítima, que morreu no local.

Ainda segundo relato da testemunha que presenciou a confusão, registrada por volta das 2h, os envolvidos tinham uma rixa antiga, apesar de estarem juntos e fazerem trabalhos temporários.

Conforme a polícia ambos são andarilhos e, na ocasião, tomavam conta da quitinete.

No local foram encontrados plásticos normalmente usados para embalar porções de droga e também uma “pipa”, usada para consumir entorpecente.

O caso foi registrado na Depac Piratininga como homicídio doloso.

Imagens mostram briga que terminou com morte de adolescente na Capital Imagens mostram briga que terminou com morte de adolescente na Capital

A morte da estudante Luana Vieira Gregório, 15 anos, esfaqueada após uma briga, perto da escola onde estudava, na Vila Bordon, na quarta-feira (11), em Campo Grande, é investigada pela Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij). A informação é da delegada Rozeman Rodrigues. Outra adolescente, amiga de Luana, também ficou ferida depois de uma briga generalizada no local.

Imagens TV Morena

A Escola Estadual José Ferreira Barbosa suspendeu as aulas nesta quinta-feira (12) por conta da morte. Alunos e colegas de Luana foram até o local e se vestiram de preto como protesto à morte da estudante.

A briga filmada por alunos mostra a confusão envolvendo vários estudantes e o momento em que uma das vítimas é esfaqueada. No dia da confusão, a escola confirmou que a suspeita da agressão é aluna do local e estudava na mesma sala que a vítima.

Luana foi velada da Funerária Campo Grande, na rua 13 de maio, no bairro São Francisco e foi o sepultamento ocorreu às 14h30 horas no Cemitério Jardim das Palmeiras.

No velório, familiares e amigos da adolescente também afirmaram que a suspeita de agressão estudava na mesma sala que a vítima e disseram ainda que a faca usada no crime teria sido levada até o colégio por outra pessoa.

BRIGA

Segundo a Polícia Militar (PM), a suspeita, de 16 anos, teria começado a briga alegando que a vítima estava com um perfume que causava alergia a ela. As aulas do período matutino terminaram às 11h20 e, dez minutos depois, as adolescentes começaram a brigar na rua do colégio, conforme a PM.

Outros jovens, alguns estudantes da escola, também se envolveram na confusão, totalizando cerca de 20 pessoas. Funcionários e moradores da rua tentaram dar fim à briga, que só acabou com as garotas feridas.

G1
‘Dublê’ se passa por outra em prova do Detran e três são presos ‘Dublê’ se passa por outra em prova do Detran e três são presos

Na manhã de ontem (11), os instrutores Francisco Osmildo Bezerra da autoescola Globo Coronel Antonino e Roberto Oliveira de Souza, vinculado às autoescolas Speed de Campo Grande e Jaguar, de Jaraguari, foram presos durante a segunda etapa do exame prático de carro, aplicado pelo Detran em Campo Grande.

Dublê foi contratada por R$ 400 para fazer a avaliação no lugar da candidata

Na ocasião, a “dublê” Vanilda Gama Rodrigues, contratada por R$ 400 fazia a avaliação no lugar da candidata Rosemeire da Silva Moreira que já reprovou três vezes em outros testes. Por isso ela aceitou pagar R$ 1.700,00 para Francisco “dar um jeito” para passá-la.

De acordo com a delegada da Corregedoria do Detran, Aline Sinnott,outras autoescolas estão sendo monitoradas. A investigação começou há um ano e o esquema foi confirmado quando a Vanilda apresentou documento falso à banca de examinadores, fez a prova da baliza e partiu para a prova do percurso.

O caso continua sendo investigado por equipe da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações (Dedfaz). O titular da unidade, Valmir Moura Fé, disse que os presos foram indiciados por falsidade ideológica e, se comprovada conivência com o crime, os proprietários das autoescolas responderão por formação de quadrilha.

“A Rosemeire chegou a fazer a prova escrita e psicológica, aí para a prática aceitou a sugestão do instrutor de passar sem precisar fazer a prova. Ela alegou que não sabia como ele iria dar esse jeito e só foi descobrir depois que a farsante Vanilda foi presa em flagrante e confessou o crime”, afirmou Moura Fé.

Os três foram presos na Defaz e deverão ser transferidos para os presídios ainda nesta quinta-feira (12).

Rosemeire não está presa, mas vai responder na Justiça junto com os três comparsas por crime de falsidade ideológica, que pode resultar em até três anos de prisão.

REAÇÃO

O Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) emitiu uma nota ofical hoje (12) informando que suspenderá preventivamente os instrutores presos ontem pela Corregedoria de Trânsito do órgão.

O Detran, por meio de sua assessoria de comunicação, explicou ainda que além da suspensão será instaurado um processo administrativo para investigar o caso para um possível descredenciamento dos instrutores e também das autoescolas.

Polícia continua buscas a jovens que mataram estudante de 15 anos Polícia continua buscas a jovens que mataram estudante de 15 anos

Desde a madrugada desta quinta feira (12) a Polícia Civil já realiza diligências para encontrar a adolescente de 16 anos e uma adulta que teria emprestado a faca para a agressão por volta das 11h30 de ontem (11)em Luana Vieira Gregório, 15 anos, em frente a escola estadual José Ferreira Barbosa no Jardim Bordon. A faca acertou o fígado da adolescente que morreu horas depois na Santa Casa.

Luanna foi morta com golpe de faca, após uma briga dentro da escola Foto: Facebook/Reprodução

Segundo o delegado Gomides Ferreira, da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), investigadores já possuem a identificação das agressoras, Dafine Ingredi de Lima, 18 anos e também a menor que ainda não foram localizadas.

De acordo com a Polícia Militar, Luana foi morta porque borrifou um perfume na sala de aula. A agressora, de 16 anos, teria se irritado, porque é alérgica, e decidiu se vingar no final do expediente escolar.

A acusada de 16 anos teria ligado para Dafine Ingredi . Ela teria sido a responsável por levar a faca do crime e entregado à agressora, que além de esfaquear Luana na barriga, (o golpe acertou o fígado), ainda atingiu outra menina, amiga da vítima, também de 15 anos, na perna.

O corpo de Luanna está sendo velado capela da Funerária Campo Grande, na rua 13 de maio, no bairro São Francisco. E a previsão é que o sepultamento comece às 14 horas.

‘A gente treina para isso’, diz PM que matou dois assaltantes na Capital ‘A gente treina para isso’, diz PM que matou dois assaltantes na Capital

O sargento da Polícia Militar Ivanildo Gomes, que matou dois suspeitos durante um assalto a uma lotérica em Campo Grande, na tarde de quarta-feira (11), disse que agiu conforme a preparação que recebeu para atuar na corporação. “Em um momento como esse, não tem como render quem está armado. A gente treina para isso”, afirma.

Policial estava com uma pistola ponto 40 Foto: Yarima Mecchi / G1 MS

Ele estava à paisana no estabelecimento quando dois homens chegaram ao local. Gomes foi rendido junto com funcionários e os demais clientes do local. Um dos assaltantes ficou na porta enquanto o outro foi até os caixas. “Fiquei esperando um momento para agir, esperei entre dois e quatro minutos”, afirmou.

Policiais fazem a identificação dos acusados morto em roubo na Lotérica Parati Foto Minamar Junior/midiamax.com

Violência

De acordo com Fábio Peró, da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos (Derf), os suspeitos estavam com um revólver calibre 38 e uma pistola 9 milímetros. O policial estava com uma pistola ponto 40 e acertou um tiro em cada suspeito.

“Ele acertou primeiro o que ficou na porta e depois o outro que estava perto dos caixas. O suspeito que estava perto do caixa reagiu com um tiro”, declarou. Ainda segundo a Polícia Civil os disparos acertaram a região do tórax. Nenhum cliente foi ferido pelos disparos. Os suspeitos já foram identificados e tinham 19 e 24 anos.

O Comandante da Polícia Militar em Mato Grosso do Sul, Coronel Carlos Alberto David dos Santos, disse que o policial agiu de forma correta e utilizou os procedimentos adequados em um caso como esse. “Ele defendeu a sociedade”, concluiu.

G1
Dupla tenta assaltar lotérica no Parati e é morta por PM à paisana Dupla tenta assaltar lotérica no Parati e é morta por PM à paisana

Dois homens foram mortos por volta das 15h30, desta quarta-feira (11), por um policial militar à paisana, ao tentarem assaltar uma casa lotérica na Rua da Divisão, Bairro Parati, em Campo Grande.

A dupla, que chegou ao local de arma em punho, foi atingida por um sargento da policia militar Foto Arlindo Florentino/midiamax.com

A dupla chegou em uma motocicleta e, armados, anunciaram o assalto. No entanto, o policial, que estava na fila do estabelecimento, atirou contra eles.

O autor dos disparos foi identificado apenas como sargento Gomes, que serve na 3º Companhia da Polícia Militar do 1º Batalhão. Os assaltantes ainda não foram identificados.

Ninguém ficou ferido. Segundo uma testemunha, não houve tempo de reação para os ladrões.

Estudante de 15 anos é esfaqueada em frente à escola no Bordon e morre Estudante de 15 anos é esfaqueada em frente à escola no Bordon e morre

A adolescente Luana Vieira Gregório, de 15 anos, morreu e outra menina ficou ferida após uma briga na rua da Escola Estadual José Ferreira Barbosa, na vila Bordon, em Campo Grande, por volta das 11h30 (de MS) desta quarta-feira (11).

Foto Divulgação

Segundo informações da Polícia Militar (PM), as duas meninas foram esfaqueadas por outra adolescente. Segundo informações da escola, a vítima que morreu era aluna do 9º ano.

Ainda segundo a PM, as aulas do período matutino terminaram às 11h20, e dez minutos depois, as adolescentes começaram a brigar na rua do colégio. Outros jovens, alguns estudantes da escola, também se envolveram na confusão, totalizando cerca de 20 pessoas.

Segundo a PM, a suspeita, de 16 anos, teria começado a briga alegando que a vítima estava com um perfume que causava alergia à ela. Funcionários e moradores da rua tentaram dar fim à briga, que só acabou com as garotas feridas.

O Corpo de Bombeiros foi até o local, mas a adolescente já tinha sido levada por familiares para uma Unidade de Pronto Atendimento. Devido à gravidade dos ferimentos, ela foi transferida por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para a Santa Casa de Campo Grande.

Segundo a assessoria de imprensa do hospital, as facadas atingiram o fígado da adolescente. Ela foi encaminhada para o centro cirúrgico e morreu por volta das 15 horas desta quarta-feira. A outra ferida, era amiga da vítima e foi atendida em uma Unidade de Pronto Atendimento.

Segundo a PM, a suspeita de esfaquear as adolescentes fugiu do local após a briga e ainda não foi encontrada pelos policiais.

A Secretaria Estadual de Educação (SED) informou ainda está apurando as informações e destacou que a briga foi fora da escola. O colégio tem aproximadamente 500 alunos e funciona nos três períodos.
Com Informações G1

Corpo mutilado encontrado no Lixão é do 3ª suspeito de matar delegado Corpo mutilado encontrado no Lixão é do 3ª suspeito de matar delegado

O corpo encontrado dia 20 de agosto, queimado sem cabeça, braços e pernas na proximidade do lixão, no bairro Dom Antonio Barbosa, em Campo Grande é de Rafael Leonardo dos Santos, 29 anos, apontado pela polícia com o 3º suspeito da execução do delegado aposentado Paulo Magalhães.

Rafael foi executado com requintes de crueldade, Foto: Divulgação/Polícia Civil

A confirmação ocorreu com a realização do DNA mitocondrial, que a mãe do suspeito forneceu a policia. O delegado Cláudio Martins, da Depac (delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga confirmou que o laudo pericial identificou o suspeito.

O assassinato de Rafael, com requintes de crueldade, teve o objetivo de dificultar a identificação. “Como nós já tínhamos dito antes, o corpo foi queimado para mandar o recado para alguém, e era fundamental dificultar a identificação do corpo. Pode ter sido uma queima de arquivo”, afirmou o delegado.

Corpo foi encontrado no dia 20 de agosto no lixão da Capital

Na quinta-feira passada os delegados Alberto Vieira Rossi, titular do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), e Edílson dos Santos, titular da Delegacia Especializada de Homicídios (DEH), responsáveis pelo caso apresentaram os suspeitos do assassinato. O guarda municipal José Moreira Freire que seria o autor dos disparos e Antônio Benites Cristaldo, que auxiliou no crime. Ambos estão presos. Rafael Leonardo dos Santos que foi apontado pela Polícia como foragido.

Desde o início das investigações, de acordo com o delegado Alberto Vieira Rossi, denúncias anônimas apontavam para o trio, porém a Polícia ainda contou com a quebra de sigilo telefônico, bancário e a identificação da moto para chegar até os responsáveis pelo crime.

Com a prisão, a Polícia entra agora em uma 2ª fase da investigação, na intenção de descobrir a recompensa dos envolvidos, bem como o que eles fizeram com o dinheiro ilícito e quem seria o mandante do crime. O inquérito continua sendo investigado sob Segredo de Justiça.

CRIME

O delegado aposentado, Paulo Magalhães, 57 anos, foi morto no dia 25 de junho último, em Campo Grande. Magalhães morreu quando buscava a filha na escola, no bairro Jardim dos Estados. Ele foi atingido por cinco dos seis tiros de uma arma de calibre nove milímetros, de uso restrito do Exército.

Informação e Contato

O Jornal MS é focado em conteúdo de notícias gerais, políticas, policiais, automotivas, tecnológicas, serviços, entretenimento, esportes, além de vídeos compartilhados.

Notícias do Mato Grosso do Sul e do mundo!

Redes Sociais

Categorias mais populares