Policial voltar para a home

Operação “Rota 289″ do Gaeco desmonta facção do tráfico em MS Operação “Rota 289″ do Gaeco desmonta facção do tráfico em MS

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado de Mato Grosso do Sul (Gaeco) deflagrou a operação “Rota 289″, com o apoio do 3º Batalhão da Polícia Militar de Dourados, 4º Batalhão da Polícia Militar de Ponta Porã, Gaeco e Polícia Militar do Mato Grosso.

Operação cumpriu mandados de prisão em Sapucaia, Dourados e RondonópolisFoto: Assessoria/PM

O nome da operação faz alusão à rodovia MS 289, que liga Coronel Sapucaia a Amambai, na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, sendo cinco na cidade de Coronel Sapucaia, um em Dourados (MS) e dois em Rondonópolis (MT), além de dois mandados de busca e apreensão na cidade de Coronel Sapucaia, expedidos pelo juízo da 1ª Vara de Amambai, para instrução do procedimento de investigação criminal instaurado para apurar a prática de crimes de tráfico de entorpecente e de associação para o tráfico de drogas.

O monitoramento da organização criminosa desbaratada ontem teve início há cerca de um ano, resultando na prisão em flagrante por tráfico de drogas de 15 pessoas e na apreensão de 10 veículos de passeio, seis armas de fogo, munições e dinheiros, tanto no Estado de Mato Grosso do Sul, quanto nos Estados de Mato Grosso, Goiás e São Paulo, para onde eram transportadas as drogas oriundas de Coronel Sapucaia.

As cargas de maconha apreendidas totalizaram 3,4 toneladas, todas vendidas por um homem que contava com o auxilio efetivo de seus familiares para a execução dos crimes de tráfico e movimentação dos valores.

Foram presos Santiago Gomez, Junior Quadra Antunes, Vanessa Martins Gomes, Adriane Martins. Todos são da mesma família e moradores em Coronel Sapucaia.

Além de fornecer drogas para diversos municípios do MS, Santiago Gomez também mandava drogas para outros Estados, sendo que a maior apreensão se deu na cidade de Rondonópolis, onde em agosto de 2012, Paulo César Fortes foi preso em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de armas de fogo, de posse de 1.175 kg de maconha e 689 gramas de haxixe, além de 10,970 kg de sementes de maconha, 5.685 kg de buchas de maconha, uma balança de precisão, uma pistola calibre 9 mm com carregador, uma carabina calibre 32, uma escopeta calibre 12, 114 munições de vários calibres, 9mm, 40, 38, 12, 32, 380 e R$ 3.915,65 em espécie.

Um dos presos na operação desta terça-feira. (Foto: divulgação)

Mesmo recolhido no presídio de Rondonópolis, Fortes prosseguiu suas atividades criminosas, encomendando através de telefone celular carregamentos de drogas, que também foram apreendidos, sendo que, para tanto, contava com pessoas que se encontravam em liberdade, muitos dos quais também foram presos em flagrante, com drogas.

O transporte do entorpecente era realizado pela rodovia MS 289 através de veículos automotores ou por meio de bicicletas através das fazendas da região até Dourados de onde seguiam de veículo para diversos rincões do país. Os ciclistas transportavam cerca de 50 kg de maconha cada um e viajavam à noite, o que dificultava a abordagem policial na medida em que podiam visualizar a aproximação de veículos sem serem vistos, pois seguiam em meio às plantações.

No curso dos trabalhos, colheram-se provas acerca da forma de atuação do grupo através de fotografias, filmagens e utilização de outros meio de prova, com autorização judicial, contando com apoio de agências de grupos de inteligência de várias partes do país, Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e GAECO de Mato Grosso.

Participam da operação Promotores de Justiça dos Gaecos de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, 10 Policiais Militares do Gaeco/MS, 12 Policiais Militares do 3º Batalhão da Polícia Militar de Dourados, quatro Policiais Militares da 3ª Companhia Independente de Polícia Militar de Amambai, além de Policiais Militares de Mato Grosso.

PF aborta transação de R$ 1,5 milhão em cocaína PF aborta transação de R$ 1,5 milhão em cocaína

A Policia Federal em Ponta Porã apreendeu na manhã de ontem, cerca de 54 quilos de cocaína. A droga era transportada por um motoboy de Campo Grande.

Cocaína apreendida pela PF

A carga estava escondida em fundos falsos de uma caminhonete de luxo, que foi abordada na rodovia MS 164, no trevo do Copo Sujo onde os Policiais estavam em barreira de rotina.

O motorista do veículo, um jovem de 24 anos, foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e permanece na Delegacia à disposição da Justiça.

Estima-se que o prejuízo para o tráfico chegue a quase R$ 1,5 milhão no varejo das Capitais.

Polícia Civil anuncia prisão de ‘Al Capone’, do PCC Polícia Civil anuncia prisão de ‘Al Capone’, do PCC

Com quatro mandados de prisão expedidos pela Justiça – investigado pelas polícias de Nova Andradina, Taquarussu, Pirapozinho (SP) e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), foi preso na manhã desta terça-feira (4) pela Polícia Civil de Nova Andradina, Valdecir dos Santos de 33 anos, mais conhecido como “Al Capone”; “Varda” ou “Magrelo”.

Valdecir (quando era procurado) e, hoje, ao ser preso
Foto: Jornal da Nova

Valdecir é apontado pela polícia como um dos “disciplinas” do PCC – Primeiro Comando da Capital em Nova Andradina..

Na residência, em poder de Valdecir, havia um revólver calibre 38 da marca Rossi com 6 munições intactas, além de 5 aparelhos celulares, cartões bancários em nomes de outras pessoas, um pedaço de placa de uma moto, HRB 2026, chaves de motos e uma moto Honda/Hornet CB 600 com placa de Guarulhos (SP) EWH 8849, com restrição judicial.

Procurado

A polícia de Nova Andradina vem investigando Valdecir desde junho de 2011, quando em março de 2012, foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) 18 pessoas.

Elas seriam integrantes de uma organização criminosa ligada ao PCC, que vinha agindo no município, e são acusados pela prática dos crimes de formação de quadrilha e associação ao tráfico, três pelo envolvimento em crime de roubo e outras nove por crimes de ameaça e cárcere privado, estes praticados contra integrantes da própria organização.

Além disso, foram requeridas pelo MP na época a prisão preventiva de todos os denunciados e sua imediata remoção da Cadeia Pública de Nova Andradina para penitenciárias do Estado, o que foi feito na época. Somente dois estavam foragidos: Almir de Lima que foi preso recentemente no Estado de São Paulo e Valdecir.

Conforme apurado pelo site Jornal da Nova, Valdecir é investigado pela Polícia Civil de Nova Andradina como suspeito de ter cometido vários assaltos, em Taquarussu (MS); em Pirapozinho (SP) ele é acusado de participar de assaltos a relojoaria e a veículos e no Gaeco, ele é apontado em ocorrências de ações criminosas atribuídas aos integrantes da facção criminosa que age dentro e fora dos presídios.

JORNAL DA NOVA 
Presos acusados de matar dono de oficina de motos no Nova Lima Presos acusados de matar dono de oficina de motos no Nova Lima

A Polícia apresentou na manhã dessa terça-feira (04) os acusados acusados de matar com cinco tiros Márcio da Rocha Rodrigues, de 31 anos, assassinado no dia 25 de maio desse ano, em uma oficina de motos, no bairro Nova Lima, em Campo Grande.

Jozoelson é apontado pela polícia como o autor dos disparos que mataram Márcio Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Luiz Gustavo Rodrigues Nogueira de 20 anos, conhecido como “Guga” ou “Chicote”, e Jozoelson Pereira de Paula de 23 anos foram apresentados na 2ª Delegacia da Capital.

Mário estava sentado na varanda de sua oficina, a MD Motos, na Avenida Gualter Barbosa, quando foi surpreendido pela dupla, que chegou em uma motocicleta YBR, placa de Corumbá.

O veículo era conduzido por Luiz Gustavo. Já Jozoelson, que estava na garupa, desceu, sacou um revólver calibre .38 e atirou em Márcio. A vítima tentou correr para o interior da oficina, mas foi perseguida e morreu no local.

Jozoelson foi preso por investigadores da 2ª delegacia de polícia, no início da semana passada, na casa dele, no bairro Nova Lima. Nogueira foi preso hoje pela manhã, no Jardim Anache.

Polícia divulga nomes dos presos por fraudar CNH e documentos de veículos Polícia divulga nomes dos presos por fraudar CNH e documentos de veículos

A Polícia Civil divulgou os nomes dos três presos na manhã de hoje (04) em Terenos, durante a Operação Mão Dupla, que tem como objetivo desarticular um esquema que fraudava transferência de Carteira de Habilitação (CNH) e regularização ilegal de veículos em Terenos.

Presos na operação serão encaminhados para Campo Grande. (Foto: Tatiane Queiroz/G1 MS)

São eles: o dono da Autoescola Paulinho, Paulo Martins Rodrigues; o servidor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) no município, Sidnei Grote Chaves; e o gerente da agência local, Audeval Francisco de Araújo.

Os três foram encaminhados para a sede do Garras (Grupo Armado de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros) em Campo Grande.

De acordo com a delegada Aline Sinot, da Corregedoria do Detran, os acusados permanecerão presos por cinco dias para não atrapalhar o andamento das investigações.

A autoescola Paulinho levantou suspeita de irregularidades pelo excesso de clientes para um município de apenas 17 mil habitantes.

“A procura pela autoescola, não condizia com o tamanho do município”, diz a delegada. No início da investigação, a polícia percebeu que a escola não pedia comprovante de residência dos alunos, o que é exigido pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Ainda conforme a delegada, pelo menos 50 veículo já foram identificados com suspeita de fraude. Mesmo apresentando problemas, eles eram transferidos sem vistoria.

Ao todo, foram expedidos três mandados de prisão e cinco de busca e apreensão, que foram cumpridos em Terenos e também em Campo Grandel. O esquema foi investigado durante 10 meses.

Economista foi morta por ladrões, mas quadrilha está foragida Economista foi morta por ladrões, mas quadrilha está foragida

Gustavo Cruz, o jovem de 19 anos que se entregou à polícia nesta segunda-feira (3) admitindo ter participado da morte da a economista aposentada Elza Gomes dos Santos de 52 anos, que foi atingida por um tiro na cabeça quando se perdeu em uma favela de São Vicente, no litoral de São Paulo, foi liberado da delegacia algumas horas após prestar depoimento.

Carro com marca do tiro que matou Elza Gomes.

O jovem confessou que a arma utilizada no crime era dele. O criminoso disse ainda que outras três pessoas participaram da tentativa de assalto; Eduardo de Senna, 20 anos, Josué de Araújo (Catatau), 25 anos e Sidnei Meneses, 25 anos – Mas, como o crime aconteceu na sexta-feira (31) e ele só se apresentou nesta segunda-feira (3) à policia, ou seja, 72 horas depois do assassinato, quando o período de flagrante de 24h já tinha terminado, ele foi liberado pelo delegado. Se o suspeito tivesse sido encontrado dentro de 24h depois do crime, ele seria preso.

Em depoimento, Gustavo disse que a arma usada na morte da economista aposentada que veio do Mato Grosso do Sul era dele e que foi comprada por R$ 800. O homem afirmou que o grupo formado por quatro jovens percebeu que a turista estava perdida. A aposentada estava dentro do carro procurando informações no mapa e no GPS quando foi abordada.

Ainda segundo o homem, a vítima ficou nervosa, tentou acelerar o veículo, mas foi atingida. O jovem mora na capital paulista e nos feriados prolongados desce a serra para efetuar crimes.

O jovem deu também o endereço dos outros homens. A prisão temporária dos suspeitos já foi decretada.

Gustavo Cruz confessou o crime, mas foi solto pela polícia

O delegado Rui de Matos, disse que “recebemos informações de que eles não estão mais na cidade. De qualquer forma com o pedido de prisão eles podem ser presos em qualquer parte do País”, explicou o delegado.

“O Gustavo relatou que ganha R$ 3 mil por mês, paga aluguel e tudo mais. O roubo é uma profissão para ele”, contou Rui. Todos serão enquadrados nos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte) e formação de quadrilha.

“Embora eles não tenham chegado a roubar nada, é latrocínio porque a morte só ocorreu devido à intenção de roubar”, finalizou o delegado. Para concluir o inquérito, algumas testemunhas devem ser ouvidas e, posteriormente, o pedido de prisão temporária pode se tornar preventiva.

As investigações continuam no 2º Distrito Policial de São Vicente. A equipe de investigação está atrás dos três homens apontados por Gustavo como os outros participantes do crime.

G1
Três são presos durante operação ‘Mão Dupla’ por fraude em CNHs Três são presos durante operação ‘Mão Dupla’ por fraude em CNHs

A Polícia Civil e o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran/MS) deflagraram na manhã desta terça-feira (04) a Operação Mão Dupla para coibir um esquema de facilitação durante o processo da retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), em Terenos. Foram presos o dono de uma autoescola, um diretor e um servidor do Detran no município.

Durante operação polícia apreendeu oito armas. (Foto: Tatiane Queiroz/ G1 MS)

Ao todo, foram expedidos três mandados de prisão e cinco de busca e apreensão para serem cumpridos em Terenos e também na Capital. O esquema foi investigado durante 10 meses.

A corregedoria do Detran apura um esquema que consiste na transferência do candidato de Campo Grande para Terenos, onde teria facilidade para ser aprovado no processo que resulta na emissão da CNH. O mesmo grupo também legalizava veículos irregularmente, sem vistoria.

Participaram da Operação Mão Dupla policiais do Grupo Armado de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros (Garras), além de servidores do Detran.

Os presos, que já estão no Garras, em Campo Grande, responderão pelos crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica e lançamento de dados falsos no sistema do Detran.

Homem confessa ter matado campo-grandense em favela de São Paulo Homem confessa ter matado campo-grandense em favela de São Paulo

Um rapaz de 24 anos se apresentou na Delegacia de São Vicente, no litoral de São Paulo, afirmando ser o responsável pelo assassinato da aposentada Elza Gomes dos Santos de 52 anos, que saiu de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e foi morta com um tiro na cabeça depois de se perder em uma região de favela na cidade de São Vicente, no litoral de São Paulo.

Mulher se perde na Imigrantes e é assassinada
(Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Segundo informações da Polícia Civil, no primeiro momento, a equipe de investigação acreditou que o rapaz se apresentou para desviar a atenção do verdadeiro autor. Mas, depois, constataram que ele é maior de idade e que pode realmente ter alguma relação com o crime. Porém, a polícia acredita que haja outras pessoas envolvidas no assassinato da aposentada. O rapaz não falou sobre comparsas, mas a investigação está atrás de outros suspeitos na Vila Margarida.

O corpo da aposentada foi encaminhado para o Mato Grosso do Sul no começo da noite deste domingo (2) e  chegou a Campo Grande na manhã desta segunda-feira (3). O velório começou por volta das 9h30 em uma capela no bairro São Francisco e o sepultamento está previsto para o início da tarde de terça-feira (4).

Corpo de aposentada morta em favela de São Paulo chega a MS (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

Segundo o irmão da vítima, Hélio Gomes dos Santos, que foi à Baixada Santista para liberar o corpo de Elza, a família acredita que novas amizades podem ter relação com a morte da aposentada, que poderia ter sido vítima de uma emboscada. O irmão de Elza e um primo, que vieram de ônibus do Mato Grosso do Sul, viajaram cerca de 26 horas para chegar em São Vicente.

Caso

De acordo com a polícia, a vítima se perdeu ao tentar chegar à praia e acabou sendo baleada na cabeça quando passava por uma comunidade na Vila Margarida. Ainda de acordo com a PM, os criminosos abordaram a vítima, que tentou fugir, mas foi atingida por um tiro na cabeça. Elza morreu assim que chegou ao hospital.

A aposentada queria mudar de cidade para fugir da violência. Segundo o irmão, o destino da vítima não era o litoral de São Paulo, e sim o Espírito Santo. A mulher percorreu mais de 1.000 quilômetros para chegar até o litoral de São Paulo e estava com o carro cheio de malas, roupas e outros objetos. Os assaltantes não levaram praticamente nada da vítima e deixaram no automóvel objetos de valor como a máquina fotográfica. Os homens fugiram, deixando uma bicicleta ao lado do automóvel da vítima.

Com Informações G1
Família acredita que mulher morta em SP tenha sido alvo de emboscada Família acredita que mulher morta em SP tenha sido alvo de emboscada

O corpo da aposentada assassinada ao se perder em uma favela de São Vicente, no litoral de São Paulo, foi encaminhado para o Mato Grosso do Sul no começo da noite deste domingo (2).

Irmão viajou 26 horas para liberar o corpo da vítima Foto: Leandro Campos/G1

Segundo o irmão da vítima, que foi à Baixada Santista para liberar o corpo de Elza Gomes dos Santos, a família acredita que novas amizades podem ter relação com a morte da aposentada, que poderia ter sido vítima de uma emboscada. A polícia ainda investiga o crime e não descarta nenhuma possibilidade.

De acordo com a polícia, a vítima se perdeu ao tentar chegar à praia e acabou sendo baleada na cabeça quando passava por uma comunidade na Vila Margarida. Elza chegou ao hospital já sem vida. Até o momento ninguém foi preso pelo crime. A aposentada queria mudar de cidade para fugir da violência. Segundo o irmão Hélio Gomes dos Santos, o destino da vítima não era o litoral de São Paulo, e sim o Espírito Santo.

Mulher se perdeu na Imigrantes e foi assassinada
(Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Para o irmão, a morte pode não ter sido apenas um roubo seguido de morte. “Ela tinha umas amizades novas lá em Campo Grande. Uma mulher estava frequentando a casa dela. Parece também que ela tinha arrumado um namorado, e o que eu sei é que ele viria também para o Espírito Santo. O que estranho é que São Vicente não estava na rota dela, não é caminho para o Espírito Santo”, afirma Hélio.

A família conseguiu liberar o corpo da vítima no começo da noite deste domingo (2). O irmão de Elza e um primo, que viajaram de ônibus do Mato Grosso do Sul cerca de 26 horas para chegar em São Vicente.

Caso

Elza Gomes dos Santos saiu de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e foi assassinada com um tiro na cabeça depois de se perder em uma região de favela na cidade de São Vicente, no litoral de São Paulo. Segundo as informações da Polícia Militar, a vítima estava tentando chegar à praia quando foi surpreendida por criminosos.

Ainda de acordo com a PM, os criminosos abordaram a vítima, que tentou fugir, mas foi atingida por um tiro na cabeça. Elza morreu assim que chegou ao hospital. A mulher percorreu mais de 1.000 quilômetros para chegar até o litoral de São Paulo e estava com o carro cheio de malas, roupas e outros objetos. Os assaltantes não levaram praticamente nada da vítima e deixaram no automóvel objetos de valor como a máquina fotográfica. Os homens fugiram, deixando uma bicicleta ao lado do automóvel da vítima.

G1
Jovem é baleado por motorista na avenida Afonso Pena ao sair da boate Miça Jovem é baleado por motorista na avenida Afonso Pena ao sair da boate Miça

O estudante S.A. C. J. de 22 anos foi baleado no braço, por volta das 5h25min de hoje (1º), ao parar o carro no semáforo, na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande (MS).

Ele e mais três amigos estavam em um Civic e haviam acabado de sair do bar Miça. Segundo relatos dos amigos à Polícia, no primeiro semáforo depois do bar, o motorista de uma Montana preta parou ao lado e disparou contra ele.

O jovem foi socorrido pelos colegas e levado até a Santa Casa, onde não corre risco de morte. De acordo com o registro policial, foi localizado projétil na sua camiseta, logo abaixo da axila esquerda.

O carro da vítima, um Honda Civic na cor chumbo foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. Segundo a polícia, foi quebrado o vidro dianteiro direito por conta do disparo e será periciado.

Segundo a Polícia, ainda no bar, um dos amigos passou a mão nas costas de uma jovem por volta de 1h da manhã e o namorado da garota veio tirar satisfação. Momento em que a vítima interviu para evitar uma briga.

A Polícia Civil investiga o caso que foi registrado como tentativa de homicídio. Nenhum suspeito foi localizado até o momento.

Informação e Contato

O Jornal MS é focado em conteúdo de notícias gerais, políticas, policiais, automotivas, tecnológicas, serviços, entretenimento, esportes, além de vídeos compartilhados.

Notícias do Mato Grosso do Sul e do mundo!

Redes Sociais

Categorias mais populares