Postagens com as tags: Quadrilha voltar para a home

Quadrilha é presa em Sonora envolvida com tráfico Quadrilha é presa em Sonora envolvida com tráfico

Após alguns meses de intensa investigação, que contou com apoio de três delegados, 12 investigadores e policiais de Coxim e Pedro Gomes, na manhã desta quinta-feira (7), a Polícia Civil de Sonora prendeu uma quadrilha acusada de envolvimento no tráfico de drogas que atuava no município e na região.

Carla Sampaio

José Adriano Candido da Silva, de 31 anos, apontado como peça chave da quadrilha; Edmilson Alves de Souza, de 43 anos, vulgo “Fala Grossa”; Cláudia Darc de Souza, de 33 anos, conhecida como “Claudinha”; Paulo Gomes de Lima, de 23 anos, vulgo “Galego”; Silviane Coutinho Garcia, de 19 anos, conhecida como “Gê” e Keteln Almeida Schimanski, de 22 anos, foram surpreendidos pela ação dos policiais, através de um mandado de prisão e apreensão de bens expedido pela Comarca de Sonora, e acabaram presos em suas residências.

Apesar de estar desempregado, Silva possui bens como imóveis e veículos e ostentava uma vida luxuosa no município. Entre os bens de Silva, os policiais apreenderam duas motocicletas, entre elas uma Yamaha XVS950A avaliada em R$ 31,050, um veículo Fiat Stilo, celulares, joias e uma quantia em dinheiro que ainda não foi divulgada, tudo adquirido através do tráfico de drogas.

As investigações apontaram que Silva trazia a droga até Sonora, entregava para os comparsas que realizavam o trabalho de distribuição, denominado “correria”, pelas ruas e bares da cidade.

No momento das prisões não foram encontrados entorpecentes com nenhum dos suspeitos, mas a participação deles foi comprovada através de imagens e escutas telefônicas efetuadas durante as investigações.

Marlene Alves de Souza, que é irmã de “Fala Grossa”, também foi detida por desacatar um dos policiais quando tentou impedir a prisão do irmão.

Segundo a Polícia Civil, a quadrilha deve permanecer presa por pelo menos 30 dias, sem direito a fiança, até que as investigações sejam concluídas.

Eles foram encaminhados para a Cadeia Pública de Sonora onde permanecem à disposição da Justiça.

Edição MS
PM do Batalhão de Campo Grande é preso em ação contra milícia no Rio PM do Batalhão de Campo Grande é preso em ação contra milícia no Rio

Agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas (Draco) fazem desde o início da manhã desta quinta-feira (7), em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, uma grande operação contra a milícia que atua na região. Como mostrou o Bom Dia Rio, cerca de 350 agentes participavam da ação contra grupo que, entre os crimes apontados, criou uma máfia de exploração em um condomínio do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal. Até as 9h30, dos 27 mandados de prisão, 17 haviam sido cumpridos (dois já estavam presos), incluindo contra um policial militar suspeito de chefiar a quadrilha.

Foto: Reprodução/TV Globo)

Segundo a polícia, uma pessoa que não era investigada também foi presa na operação por ter um outro mandado de prisão por assalto. A operação “Tentáculos” tem o objetivo de cumprir ainda 90 mandados de busca e apreensão.

O PM João Henrique Barreto, o Cachorrão, do 40º BPM (Campo Grande), foi preso por suspeito de comandar a milícia. A prisão ocorre dois dias após José de Lima Gomes, o Gão, também apontado pela polícia com um dos chefes da quadrilha, também ser preso. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), eles estariam no comando após a prisão do miliciano Toni Ângelo Souza de Aguiar, em 2013.

‘Minha casa, Minha Vida’
De acordo com as investigações da polícia, o grupo de milicianos cobrava taxas de segurança, de energia, de TV a cabo e cestas básicas dos moradores de um condomínio do “Minha Casa, Minha Vida”. Os que não pagavam poderiam ser expulsos de casa ou até mortos. O síndico também foi preso. Na residência de Ademir Horácio de Lima, foram encontradas anotações que fariam referência às pessoas que estavam em débito.

Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança do Rio informou que, em razão da ampla área geográfica, a milícia diversificou o comando para dificultar as investigações e diminuir a exposição.

A ação teve apoio do Ministério Público (MP), Subsecretaria de Inteligência (SSINTE) da Secretaria de Segurança, Polícia Civil, Corregedoria Geral Unificada, Corregedoria da Polícia Civil, Corregedoria da Polícia Militar e Corregedoria da Secretaria de Administração Penitenciária.

Ação de mílicias na região
Em abril deste ano, famílias beneficiadas pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal, denunciaram ameaças e assassinatos comandados por milicianos na região de Campo Grande ao RJTV. Beneficiados pelo programa que receberam um imóvel no bairro teriam sido expulsos de residências em um condomínio na Estrada dos Caboclos. Os criminosos teriam ameaçado matar quem não obedecesse à ordem de deixar a casa.

Após a retirada dos moradores, os criminosos teriam colocado as residências à venda na internet. Segundo denúncias, eles faziam ameaças aos residentes quando o dono não pagava taxas cobradas pela milícia. A equipe de reportagem ligou para um dos anúncios dos milicianos, expostos na internet. Os avisos cobram ainda taxas de água, luz e gás, que chegam a até R$ 500.

“Ali, pagamento só à vista, tá? O imóvel tá em R$ 52 mil. A pessoa vai levar um documento que está comprando, né? Um contrato, que está comprando, a pessoa vendendo, vai assinar comprador e vendedor, a pessoa vai ter todos os documentos originais do imóvel, tá?”, disse um homem, que atendeu a ligação.

Em julho deste ano, outro homem acusado de chefiar milícias na região de Campo Grande foi preso. Charles Santos Pamplona, de 35 anos, foi capturado em Cosmos e um helicóptero foi usado para levá-lo até a Barra da Tijuca, onde fica a sede da DH. Na ocasião, informações da polícia davam conta de que ele era suspeito de ser um dos assassinos do agente penitenciário Anderson Terra dos Santos, em 2013.

 

G1.com

Polícia captura quadrilha acusada de roubar joias Polícia captura quadrilha acusada de roubar joias

A polícia prendeu nesta sexta-feira (1º) quadro jovens acusados de praticar assalto em uma joalheria, na região de Dourados (MS), na última quinta-feira (31). Fernando Augusto Rohr, 19 anos, Sidney Moreira de Souza, 21, e os irmãos Welington Henrique da Silva, 19, e Wesley Marcos da Silva, 21, foram detidos e encaminhados ao 1º Distrito Policial.

Algumas joias roubadas foram recuperadas Foto: Osvaldo Duarte – Dourados News

Segundo as investigações, Fernando e Welington entraram no estabelecimento comercial e anunciado o roubo, enquanto os outros dois deram suporte do lado de fora da empresa.

Com o grupo, os policiais apreenderam duas motos, uma Honda Tornado e uma CG Titan, um revólver calibre .32, quatro munições do mesmo calibre e outras duas de calibre 22. Boa parte das joias roubadas também foram recuperadas.

Com informações do Dourados News
Quadrilha de estelionatários nordestinos é presa na Capital Quadrilha de estelionatários nordestinos é presa na Capital

Grupo se fazia de “coitadinhos” para aplicar golpes na cidade

Uma quadrilha de estelionatários foi presa ontem (29), na Capital.

Diego da Silva dos Santos, 29 anos, Edivaldo Santos Costa, 30 anos, Mário Diego Santos Bezerra, 26 anos, Denisson Santos Fontes, 26 anos, José Paulo da Silva dos Santos, 25 anos, Waltsom José dos Santos, 21 anos, Alexsandra Costa dos Santos, 25 anos e Ana Carolina da Silva Santos, 21 anos, eram todos da cidade de Laranjeiras, no Sergipe, e aplicavam golpes em várias cidades do país e, em Campo Grande, estavam agindo há um mês.

Grupo aplicava golpe na Capital há um mês (Foto: Luciano Muta)

De acordo com o delegado titular do 5º DP, Jairo Carlos Mendes, o grupo vendia livros com preços superfaturados. “Eles contavam várias histórias para convencer as pessoas de comprarem os livros.

Uma hora falavam que o dinheiro seria usado para pagar faculdade e, outra, falavam que eram ex-usuários de drogas e que precisavam de uma oportunidade, por isso vendiam os livros. Eles se faziam de coitadinhos”, explicou.

Ainda segundo o delegado, eles usavam da boa fé das pessoas para aplicarem o golpe. “Através de supostas histórias de vida tristes, eles acabavam fazendo as pessoas pagarem os valores altíssimos dos livros. O livro mais barato, que tinha o preço de R$ 100, eles conseguiam vender por até R$ 900. Induzir as pessoas e mantê-las no engano, é crime”, contou.

A quadrilha, que era muito organizada, fazia gráficos de desempenho de cada integrante e metas a serem cumpridas por cada um. “O esquema era muito bem armado, eles tinham até uma página na internet com o nome da suposta empresa, que se chamava PDL- Papelaria e distribuidora de Livros de Laranjeiras.

Eles abordavam as pessoas porta-a-porta, usavam uniformes e crachás, tudo para não levantar suspeitas. Também aceitavam cheque e cartão de crédito e débito”, explicou o delegado.

Os integrantes da quadrilha moravam todos na mesma casa, no bairro Tijuca e pretendiam permanecer na cidade até o final do ano. Ontem, eles foram presos em flagrante, no momento em que tentavam aplicar golpes no Jardim São Bento.

A Polícia Civil está investigando quantas pessoas caíram no golpe na Capital. Em Sergipe, o grupo já estava sendo procurado pela aplicação do mesmo crime.

Diário Digital
Quadrilha que tentava cometer crimes a mando do PCC é presa na Capital Quadrilha que tentava cometer crimes a mando do PCC é presa na Capital

Cinco integrantes de um grupo que pretendia cometer crimes a mando do PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presos na madrugada de hoje (28), na BR-262, na saída para Três Lagoas, em Campo Grande.

Cinco integrantes do bando foram presos pela polícia Foto: divulgação PM

Com eles a polícia encontrou dois revólveres calibre 38, uma pistola 765 e mais 15 munições. Dois carros também foram apreendidos.

Os presos são Reginaldo José de Lima, de 41 anos, Dilson Aparecido Almada, de 37, Jandair da Cruz Rodrigues, de 23, Geziel Lucas de Carvalho, de 22, e Fabiano Emanuel dos Santos, de 20.

Armas e munições apreendidas em poder do grupo Foto: Divulgação da PM

Fabiano disse aos PMs que o grupo foi contratado pelo PCC para levar as armas até o município de Água Clara (MS), região leste do Estado. Lá, segundo o depoimento, o bando iria praticar vários crimes.

Três deles moram em Maracaju e chegaram ontem (27) em Campo Grande em um veículo Gol branco, apreendido em uma casa do bairro Vilas Boas.

Fabiano confessou, também, que antes de vir para Campo Grande tentou matar a irmã na tarde de ontem.

No momento da abordagem, feita por policiais do 10º Batalhão, os cinco elementos estavam em um veículo Fiat/Palio. Dos cinco, quatro tinham passagem pela Polícia.

No veículo foram encontrados cordas, capas de chuva, capuz e luvas. Os presos foram encaminhados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do Centro.

Integrante de quadrilha que assaltava bancos em Mato Grosso do Sul é preso no Paraná Integrante de quadrilha que assaltava bancos em Mato Grosso do Sul é preso no Paraná

O site Bem Paraná divulgou que investigadores do Grupo de Diligências Especiais (GDE) da 15ª Subdivisão Policial de Cascavel (PR) prendeu, em cumprimento a mandado judicial, um homem de 22 anos, acusado de integrar uma quadrilha especializada em arrombamentos de cofres instalados nas agências bancárias, principalmente em Mato Grosso do Sul.

Em 2013, quadrilha do Paraná foi presa em Mato Grosso do Sul Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Segundo ainda o Bem Paraná o delegado-operacional, Edgar Dias Santana, informou que a equipe de policiais montou um trabalho de observação até que conseguiu surpreender o acusado no momento em que ele saía de uma residência na região norte de Cascavel.

Parte quadrilha foi presa em Campo Grande. Pelo menos sete integrantes são oriundos do Paraná. Os acusados agiam principalmente nos finais de semana e feriados prolongados.

Toda a ação durava de dois a três dias, tendo em vista que o alvo dos criminosos não era os caixas eletrônicos, mas sim o cofre das agências bancárias. O acusado foi recolhido ao Setor de Carceragem da 15.ª SDP e poderá ser removido ao Mato Grosso do Sul.

Quadrilha explode caixas em Bela Vista e foge com dinheiro Quadrilha explode caixas em Bela Vista e foge com dinheiro

A polícia de Bela Vista procura quadrilha que explodiu dois caixas eletrônicos do Banco do Brasil naquele município, durante a madrugada de hoje. Os assaltantes levaram dinheiro, ainda não contabilizado. Segundo informações, eles utilizaram ‘bananas’ de dinamites, sendo que uma delas não explodiu.

Imagem que leitor enviou via whatsapp para o Midimax

De acordo com o Midiamax, a delegada Jennifer Estevam de Araujo, titular da Delegacia de Polícia Civil de Bela Vista está no local junto com agentes da Polícia Militar, com reforço da polícia de Jardim e também aguardam uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais ( Bope) de Campo Grande.

Polícia prende quadrilha que comandava tráfico de drogas na cidade de Amambai Polícia prende quadrilha que comandava tráfico de drogas na cidade de Amambai

A Polícia Civil de Amambai prendeu uma quadrilha composta por cinco integrantes que atuavam no tráfico de drogas naquela cidade, na última quarta-feira (18).

“Xana” fugiu. Presos: Verônica, Geovana, Rodrigo e Jeferson (Foto:Vilson Nascimento/A Gazeta News)

Conforme o boletim de ocorrência, foram presos em flagrante Jeferson Duarte Pazeto de 28 anos, Geovana Neves Ajala, 20, Rodrigo Rodrigues Peralta,19 e Veronica de Oliveira Rodrigues, 27.

Com a quadrilha foram apreendidos dois revólveres calibres 38, três munições intactas, 370 quilos de maconha que estavam no veículo Fiat/Pálio, uma Honda/Biz de cor vermelha, um Fiat/Pálio, uma VW/Saveiro, de cor verde e uma Honda/CBR 600RR, todos segundo a polícia, veículos proveniente do tráfico de drogas.

A Polícia Civil chegou até a quadrilha depois de investigações que constataram que a quadrilha aluguel quitinetes na rua Alfredo Xavier dos Santos, no conjunto Alcindo Franco Machado, para esconder a droga e tratar das negociações ilícitas.

Um menor de 17 anos, também foi apreendido. Ele era contratado pela quadrilha para ser o olheiro, se caso a polícia chegasse perto do local, ele avisava através de um aparelho celular,. Pelo serviço ele ganhava R$ 200 reais por operação.

Geovana, Veronica e Rodrigo foram presos assim que eles saíram do Banco do Brasil, onde havia sacado R$ 900 reais para fugirem, logo após saberem que a polícia tinha estourado o local onde a droga estava escondida. Horas mais tarde foi preso Jeferson, em sua residência. Com ele havia um revólver calibre 38.

O marido de Geovana, Jean Carlo Miiller Hollandini de 31 anos, o “Xana”, acusado de ser o chefe do esquema de tráfico, conseguiu escapar do cerco policial e está foragido, segundo a polícia.

A quadrilha foi presa por posse irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, todos estão à disposição da Justiça.

Jornal da Nova
Quadrilha que levava droga de MS para distribuí-la em BH é presa com quase meia tonelada Quadrilha que levava droga de MS para distribuí-la em BH é presa com quase meia tonelada

Com investigação de 15 dias, uma equipe da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil conseguiu apreender quase meia tonelada de maconha e prender os quatro integrantes de uma quadrilha que fornecia a droga para Belo Horizonte e região metropolitana. A operação que culminou na prisão dos suspeitos em uma festa de família foi denominada “Sagaz”.

Além do líder do bando, dois comparsas e o caseiro do sítio foram presos Foto: O tempo

Segundo o chefe do Deoesp, Wanderson Gomes, eles investigavam uma suspeita de roubo de cargas quando acabaram identificando que, na verdade, a quadrilha atuava no tráfico. “Investigávamos o Roberth Afonso Morais, de 28 anos, o Betinho, por causa de cargas e acabamos descobrindo que ele atuava no tráfico no Bairro São Francisco, na região da Pampulha”, explicou o policial.

Durante a investigação, os policiais receberam a informação de que Morais havia partido para Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, em um caminhão, e que voltaria com drogas. O suspeito retornou para a cidade na madrugada do último dia 10, quando se encontrou com seus dois comparsas, Cléber Antonio de Moura, o Bill, de 32, e Fábio da Costa Silva, o Gordo, de 26.

Com os companheiros em dois carros, fazendo o serviço de batedores, a quadrilha levou a meia tonelada de maconha para um sítio em Esmeraldas, na grande BH. Da chegada à capital até o dia das prisões, na última segunda-feira (14), os traficantes chegaram a revender parte da droga. “Eram distribuidores, não vendiam no varejo”, explicou o delegado responsável pela investigação, Tiago Machado. Morais era o “mentor” do bando.

No dia 14, os policiais se aproveitaram de uma festa em família, realizada em um sítio alugado em Ribeirão das Neves, na região metropolitana, para conseguir prender os três suspeitos. “Com a prisão, eles revelaram onde ficava o sítio em Esmeraldas e onde estavam guardados os 472 quilos de maconha que ainda sobravam. Com eles, nós encontramos R$ 40 mil, provavelmente da droga que eles venderam”, disse o delegado. Os suspeitos já tinham passagem pela polícia.

Além da droga e dos R$ 40 mil, a polícia ainda apreendeu um veículo Uno, uma pick-up Strada e um Polo dos suspeitos. Cerca de cem chips de celular também foram apreendidos. “É mais fácil comprar um chip do que um sorvete no Brasil, não tem nenhuma fiscalização sobre quem compra e é muito usado por bandidos”, disse Wanderson Gomes.

Caseiro
Além disso, no sítio, os policiais identificaram Antônio Pereira Nunes, de 60 anos, que trabalhava como caseiro do local. O senhor também acabou preso, uma vez que recebeu R$ 10 mil e uma pistola .9 milímetros de fabricação israelense como pagamento pelo serviço. “Existem indícios de que esta não é a primeira vez que faz esse serviço para estes traficantes”, explicou o delegado Machado.

Além disso, o caseiro já tinha passagem pela polícia, após ter assassinado a sua mulher há quatro anos. Em entrevista, Nunes confessou ter matado a mulher, mas não quis dar detalhes sobre por que cometeu esse crime.

O Tempo
Desmantelada quadrilha que assaltou e humilhou sacoleiros de Mato Grosso do Sul Desmantelada quadrilha que assaltou e humilhou sacoleiros de Mato Grosso do Sul

Uma quadrilha paranaense de ladrões de ônibus de turismo, que agia em Mato Grosso do Sul e em São Paulo, foi presa na terça-feira (15) por policiais civis da Delegacia de Pirapozinho (SP) e do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). Durante roubo a um ônibus de sacoleiros, no ano passado, eles humilharam as vítimas, verificando com lanternas se ninguém escondia algo de valor nas áreas genitais.

Foram presos João Alberto, Carlos Roberto, Fabrício e Elias Galvão Foto: Divulgação PC

O roubo aconteceu em novembro. De acordo com policiais civis paulistas, os sacoleiros saíram de Campo Grande (MS), com destino a São Paulo, e foram abordados tão logo saíram de Mato Grosso do Sul. Os bandidos desviaram o ônibus até um local ermo de Pirapozinho (SP), obrigaram as vítimas a tirararem as roupas e entregarem tudo o que tivessem de valor. Uma mulher evangélica contou revoltada que todos se sentiram humilhados, ao terem lanternas apontadas para as suas partes íntimas.

Identificados

Os policiais de Pirapozinho identificaram cinco integrantes da quadrilha e pediram ajuda aos policiais do Cope para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão no Bairro Alto, Sítio Cercado, Alto Boqueirão e em São José dos Pinhais. Foram presos João Alberto da Silva Moraes, Carlos Roberto de Melo, Fabrício Aclender e Elias Galvão de Proença, 36 anos, foragido da Colônia Penal Agroindustrial. João Alberto e Fabrício foram pegos com um pistola calibre .40 cada.

Além das armas, a polícia também apreendeu um veículo Jetta, vários celulares, notebooks, radiocomunicadores e R$ 15 mil em dinheiro. Os policiais vão averiguar se algum destes produtos foram provenientes do roubo aos sacoleiros. Os detidos foram transferidos para Pirapozinho (SP).

PARNAONLINE

Informação e Contato

O Jornal MS é focado em conteúdo de notícias gerais, políticas, policiais, automotivas, tecnológicas, serviços, entretenimento, esportes, além de vídeos compartilhados.

Notícias do Mato Grosso do Sul e do mundo!

Redes Sociais

Categorias mais populares