Postagens com as tags: Corumbá voltar para a home

Homem encontra carteira com dinheiro, cartão com senha e devolve para dono Homem encontra carteira com dinheiro, cartão com senha e devolve para dono

Na tarde desta quarta-feira, 10 de setembro, Sonner Cristiano Galharte de Oliveira, de 39 anos, voltava da Bolívia quando, ao passar em frente ao Clube Recreativo de Sargentos e Subtenentes, na rodovia Ramão Gomez, viu uma carteira e parou com o intuito de se certificar se era mesmo o objeto que havia pensado.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Após confirmar, Sonner anunciou no grupo Troca & Trocas, do Facebook, que havia encontrado uma carteira com documentos pessoais, uma quantia em dinheiro e o principal, um cartão bancário com a senha. “Eu fui à Bolívia para comprar remédios, tenho um problema muito grave de saúde, e na volta vi algo e resolvi parar. Foi quando achei a carteira perto de um buraco.

Não pensei duas vezes em postar no Facebook. Eu fiz questão de devolver, pois sei como é ruim perder os documentos e ter que correr atrás para fazer tudo novamente. Em relação ao dinheiro, acredito que se não é meu não tem porque ficar comigo”, disse Sonner de Oliveira ao Diário Corumbaense. Mesmo com problemas de saúde, Sonner sempre pensa em ajudar o próximo. Ele é casado e pai de duas filhas. Horas depois de anunciar o achado na rede social, Edgar Dourado Paz foi buscar a carteira. Ele disse que essa atitude é rara atualmente e que Sonner é uma pessoa de bom coração.

“É a primeira vez que eu perco minha carteira assim, não sabia nem onde havia perdido, foi quando me avisaram que tinham encontrado e vim buscar.Essa atitude hoje em dia é rara, pois as pessoas não pensam mais no próximo, ainda mais quando se trata de dinheiro, muitas vezes devolvem só os documentos”, falou Edgar ao lembrar que na carteira havia o cartão de seu banco com a respectiva senha e a quantia aproximada de 45 reais.

Diario Online
Onça é solta no Pantanal após cair em armadilha em Corumbá Onça é solta no Pantanal após cair em armadilha em Corumbá

A onça, que vinha sendo monitorada na região de Forte Junqueira, em Corumbá, foi capturada na tarde da última terça-feira (2) e solta em uma área distante da zona urbana, na manhã de ontem.

Desde o momento quando o felino caiu na armadilha, onde um pedaço de coração bovino o atraiu para o interior dela, até a soltura, foram 12 horas de trabalho ininterrupto.

O animal vinha sendo monitorado por armadilhas fotográficas e filmagens desde o dia 07 de agosto. Por muitas vezes, a equipe chegou perto da captura, mas a desconfiança do felino fez com que muitas vezes ele se aproximasse da armadilha, porém não entrasse na estrutura.

“Essas imagens coletadas serão objeto de estudo e vamos inserir em nossos cursos, para mostrar como o animal se comporta. O monitoramento nos ajudou muito, porque foi possível estudarmos o jeito do animal se movimentar, se alimentar para conseguirmos chegar à captura”, afirmou o tenente-coronel Braga, comandante da Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso do Sul.

Como a onça apresentava bom estado de saúde e não possuía nenhuma lesão, a soltura foi realizada de forma imediata. Veterinários da Embrapa Pantanal e do Instituto do Homem Pantaneiro sedaram o felino para promover o transporte até área mais adentro do Pantanal que não foi atingida pela cheia e poderá propiciar condições necessárias para o bem-estar do animal.

Por precaução, a equipe não divulgou qual área foi a escolhida, porém afirmou se tratar do município de Corumbá, mas distante da zona urbana. A decisão surgiu do consenso entre os especialistas.

Com a captura da onça em Forte Junqueira, os esforços da equipe agora se concentram na região da Cacimba da Saúde, no bairro Cervejaria, localidade onde há relatos de aparições do felino e já foram montadas armadilhas.

“Nossa preocupação maior era com Forte Junqueira, pois a gruta onde o animal se refugiava ficava distante cerca de 100 metros de residências instaladas ali, então o risco à população era grande”, explicou o major Pádua, comandante da 2ª Cia da PMA em Corumbá.

Detenta de Corumbá comandava presas de facção em três países Detenta de Corumbá comandava presas de facção em três países

Uma detenta do Estabelecimento Penal Feminino Carlos Alberto Jonas Giordano, em Corumbá, distante 415 quilômetros de Campo Grande, é apontada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) como responsável por comandar presas ligadas a uma facção criminosa no Brasil, na Bolívia e no Paraguai.

Solimar Ferreira Nery

De acordo com o Gaeco, a mulher de 43 anos atuava em questões relativas à aquisição de drogas, à logística de transporte e à contratação de motoristas. De dentro do presídio ela também intermediava negociações de dívidas dos faccionados e repassava orientações.

Nesta quarta-feira (3), o Gaeco e a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) deflagrou operação pente-fino no presídio com o objetivo de retirar aparelhos de celular das mãos de presos. Não está descartada a transferência da detenta para outra unidade penal. Ela deve ficar em Regime Disciplinar Diferenciado.

A identificação da detenta de Corumbá e de outros integrantes do grupo criminoso é resultado de seis meses de investigação do Gaeco e Sejusp. Diversas funções dentro da facção foram catalogadas, entre elas as chamadas: final, geral dos estados, resumo, geral do sistema, disciplina, geral dos cadastros, livro branco, livro negro, livro do prazo, geral do progresso, geral da rifa, caixa do comando ou caixa da família, geral da rua, geral dos gravatas, geral do paiol, salveiros e apoio das casas ou apoio externo.

Segundo a Agência Estadual de Administração Penitenciária (Agepen), foram realizadas revistas também nos presidios de Dourados, Aquidauana e Naviraí. Somente a ação em Dourados tem relação com a investigação sobre a facção criminosa. Nos outros dois municípios, são operações que já estavam programadas.

Do G1 MS com informações da TV Morena

Depois de monitoramento, onça é capturada em Corumbá Depois de monitoramento, onça é capturada em Corumbá

Foi capturada na noite desta terça-feira (2), às 18h15min, a onça-pintada que estava abrigada em uma fenda, em paredão na área próxima ao Forte Junqueira, no município de Corumbá (MS), após quase um mês de monitoramento. O animal entrou na armadilha instalada no local pelo Comitê de Incêndios Florestais e Contenção de Animais Silvestres e foi solto no início da manhã desta quarta-feira (3), em área isolada do Pantanal corumbaense. A onça, que era fêmea, havia sido vista pela primeira vez no último dia 6. De acordo com o comandante da Polícia Militar Ambiental (PMA) local, major Nivaldo Pádua, antes de ser solto, o animal foi sedado e avaliado pelos técnicos da Embrapa Pantanal. Toda a operação durou aproximadamente 12 horas.


“Esse animal, que estava na região do Forte Junqueira, era o que mais nos preocupava, porque estava numa área em que havia residências numa distância aproximada de 100 metros. Há cerca de quinze dias, passamos a utilizar tecnologia, conseguimos câmeras para filmar o animal 24 horas e estabelecemos a rotina do animal”, explicou o major Pádua, durante a entrevista coletiva que detalhou a operação. A PMA, que integra o Comitê de Contenção de Animais Silvestres, coordenou nas últimas semanas o serviço de monitoramento que visava capturar o animal. O comandante da PMA ainda informou que a onça não estava prenha e as equipes do Comitê tiveram “cuidado completo” com o animal, que foi solto de “forma segura, em local longe da área urbana e seco [livre da área de cheia do rio Paraguai]”.

“Agora voltamos as atenções para as regiões da Cacimba da Saúde e da Sobramil, onde houve registros de aparições de onças. Na Sobramil, não encontramos mais vestígios do animal, que pode ser essa que foi capturada, mas não temos a certeza. Na Cacimba já estamos com armadilhas armadas e monitorando. A que apareceu na avenida [Rio Branco] não dá para sabermos qual se trata, por conta das imagens, que não nos permitem identificação maior”, esclareceu o major. Veja vídeo cedido ao site Diário Corumbaense, pelo Comitê.

Com informações do Diário Corumbaense

 

Mato Grosso do Sul tem 20 novos casos notificados de gripe A Mato Grosso do Sul tem 20 novos casos notificados de gripe A

Campo Grande segue sendo a cidade com maior número de suspeitas.
Houve ainda 7 casos confirmados, cinco do subtipo H1N1 e dois de H3N2.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) investiga 499 casos suspeitos de gripe A em Mato Grosso do Sul, segundo relatório divulgado nesta quarta-feira (13). Houve aumento de 20 notificações durante a última semana, sendo 12 em Campo Grande e três em Aquidauana. Água Clara, Dois Irmãos do Buriti, Sidrolândia e Terenos têm um cada. Selvíria apareceu pela primeira vez na lista com um caso.

Foto: Divulgação

Houve ainda cinco casos confirmados de pacientes contaminados pelo subtipo H1N1 do vírus, sendo três em Campo Grande e um em Bela Vista e Dois Irmãos do Buriti. Aquidauana foi a única cidade a ter a confirmação de um paciente com o subtipo H3N2 do influenza durante a última semana, Conforme o levantamento, a capital sul-mato-grossense continua sendo o município com maior número de casos notificados, com 225. Corumbá segue na segunda posição com 79 e Caarapó na terceira com 30.

Veja as demais cidades com casos notificados


- Ladário: 17
- Sidrolândia: 13
- Sonora: 12
- Chapadão do Sul: 11
- Aquidauana: 10
- Costa Rica: 10
- Dourados: 10
- Dois Irmãos do Buriti: 8
- Ribas do Rio Pardo: 8
- Três Lagoas: 8
- Ponta Porã: 6
- São Gabriel do Oeste: 6
- Anastácio: 5
- Tacuru: 4
- Bela Vista: 3
- Nova Andradina: 3
- Terenos
- Água Clara: 2
- Bandeirantes: 2
- Bataguassu: 2
- Bonito: 2
- Coxim: 2
- Jaraguari: 2
- Nova Alvorada do Sul: 2
- Paranaíba: 2
- Rochedo: 2
- Alcinópolis: 1
- Camapuã: 1
- Caracol: 1
- Cassilândia: 1
- Douradina: 1
- Jardim: 1
- Naviraí: 1
- Rio Negro: 1
- Rio Verde de Mato Grosso: 1
- Selvíria: 1

G1
Prefeitura de Corumbá, MS, proíbe Vivo de vender linhas e celulares Prefeitura de Corumbá, MS, proíbe Vivo de vender linhas e celulares

Decisão foi motivada porque operadora não melhorou serviço na cidade.
Vivo informou que ainda não foi notificada pela prefeitura sobre decisão.

A prefeitura municipal de Corumbá, cidade a 415 quilômetros de Campo Grande, cancelou a inscrição municipal e o alvará de localização e funcionamento da operadora Vivo na cidade. Por conta disso, a empresa não poderá vender novas linhas telefônicas e aparelhos celulares no município.

Foto: Divulgação

 

A decisão foi publicada no Diário Oficial do município desta quinta-feira (7).

A Vivo informou, por meio de nota, que até agora não recebeu a notificação da prefeitura de Corumbá. A operadora disse ainda que tomou conhecimento do cancelamento da inscrição municipal e do alvará da empresa nesta manhã, por meio de ações da prefeitura em estabelecimentos que comercializam os serviços e produtos da Vivo.

A empresa não detalhou que ações seriam essas, mas informou que vai tomar as providências necessárias e vai dar esclarecimentos no momento oportuno.

Promessa de melhoria

Segundo o decreto nº 1.406, de 6 de agosto de 2014, que oficializada a decisão, a prefeitura considera que a empresa não cumpriu um compromisso feito com a prefeitura, no primeiro semestre de 2013, de melhorar a qualidade da telefonia móvel na cidade.

Ainda conforme o decreto, na época, a Vivo chegou a apresentar ao Procon local um plano de expansão para a região, mas, ”esse plano de expansão ainda não apresentou qualquer resultado minimamente razoável quanto à melhoria dos serviços”. Ainda segundo a prefeitura, a decisão de suspensão de inscrição municipal e alvará não vai prejudicar os atuais clientes da operadora.

Reclamações

Segundo a prefeitura de Corumbá, atualmente a operadora Vivo é a maior prestadora de serviços de telefonia celular no município e também é a empresa com maior número de reclamações de consumidores.

Ainda conforme a administração municipal, o Procon local está orientado a cuidar especialmente deste caso e as outras empresas de telefone também serão fiscalizadas pelo órgão.

G1
Polícia apreende pasta base, cocaína e fuzis em semirreboque de Corumbá Polícia apreende pasta base, cocaína e fuzis em semirreboque de Corumbá

A Polícia Militar apreendeu 233 tabletes de pasta base de cocaína e 27 de cocaína pura, na noite deste sábado (02), na rodovia Castello Branco, em Itatinga (SP) – a 120 km de Bauru. A droga estava em um caminhão com semirreboque com placas de Corumbá (MS).

Armas e drogas foram apreendidas durante
fiscalização (Foto: Divulgação/ Polícia Rodoviária)

Além da droga, foram apreendidos seis fuzis com um carregador cada, todos com a numeração raspada. Segundo o Policiamento Rodoviário, Jeferson Vitor da Silva, 30 anos, que conduzia o caminhão foi preso por tráfico de armas e drogas. No total, foram apreendidos 263,750 kg de cocaína.

A ocorrência foi encaminhada para Polícia Federal em Bauru (SP), já que o material teria vindo de outro país, provavelmente do Paraguai, mas a polícia ainda investiga a origem. O condutor do caminhão foi encaminhado para Cadeia Pública de Bauru.

Com informações do G1.
Quase escravos’: Corumbá é rota para tráfico de pessoas, diz polícia Quase escravos’: Corumbá é rota para tráfico de pessoas, diz polícia

Falta de auditores do trabalho dificulta fiscalização, diz superintendente.
Forças policiais fazem investigações contínuas por conta do problema.

Pesca, carnaval, turismo e festas típicas. Peculiaridades que atraem milhares de visitantes a Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande. Mas, conhecida também por ser uma das ‘rotas’ para a passagem de drogas, armas e outros ilícitos, o município é ‘porta de entrada’ para o tráfico internacional de pessoas.

Documento falsificado por um dos bolivianos para
entrar ilegalmente no Brasil (Foto: Divulgação/PF)

Estatísticas da Polícia Federal (PF) obtidas pelo G1 mostram que 24.795 ocorrências da entrada de bolivianos pela fronteira foram registradas de 1° de janeiro até 11 de julho de 2014. Em 2013, conforme os dados, 38.089 bolivianos também chegaram à cidade com a mesma finalidade. O trabalho realizado por eles, no entanto, é análogo à condição de escravo, segundo a PF.

“Cerca de 95% dos bolivianos entram em Corumbá alegando que vão fazer turismo. Porém, 90% desse total vão, na verdade, em busca de trabalho nos ateliês de costura em São Paulo. Outra parte também atua neste ramo, mas tem visto temporário ou permanência no Brasil como estrangeiro residente. Nós realizamos mais de 50 flagrantes desde 2013 até o início deste mês, apreendendo também o documento falso dos bolivianos”, afirmou o delegado Alexandre do Nascimento, titular da delegacia de PF do município.

Serviço clandestino

Sem a documentação correta, os estrangeiros não têm os direitos garantidos. “A maioria dos bolivianos extrapola o visto de turista, que é no máximo de 90 dias, então eles realizam o trabalho de maneira clandestina e análogo à condição de escravo. Quando retornam, recebem uma multa, porém muitas vezes para eles ainda é melhor do que a situação em que eles estavam no seu país de origem”, explicou o delegado.

Por conta disso, as forças policiais da cidade realizam investigações contínuas. A Polícia Civil, por exemplo, busca acabar com o comércio do sexo fácil, onde mulheres são aliciadas e trazidas de outras cidades e países para se tornarem ‘acompanhantes’. Há décadas, conforme investigadores de Corumbá, elas atuam em boates e para pessoas que tiram proveito de tal exploração.

Em abril de 2014, uma vistoria culminou em uma grande operação em Corumbá, com a participação da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DAM), Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (DAIJ), além do reforço de policiais de outras cidades que se passaram por clientes, na intenção de colher provas testemunhais. Ao final, oito mulheres confirmaram ser garotas de programa, entre elas uma boliviana, e a dona do local foi presa por rufianismo (tirar proveito da prostituição alheia).

O G1 entrevistou uma jovem de 28 anos, que trabalhou por seis meses no local. “Fiz programa por seis meses na boate em Corumbá e conheci muitas meninas, não só da cidade como de outros locais. A movimentação era muito grande e com isso ganhávamos muito bem, até R$ 250 por pessoa”, disse a garota.

A princípio, a polícia investigava apenas o contrabando de bebidas oriundas da fronteira, mas o testemunho das jovens revelou o esquema que inclui até um dono de hotel. Este, segundo um dos investigadores do caso, cobra R$ 100 por cliente que sobe em seu quarto com uma prostituta. Inclusive, o valor é incluso na comanda. A mulher que comandava uma das boates chegou a ser presa, mas não passou nem 24 horas na cadeia e responde o processo em liberdade.

Falsas promessas

Porém, esta é a ‘fase final’ da quadrilha. O policial diz que as mulheres já começam a ser enganadas assim que chegam às casas noturnas. Elas recebem uma comissão para vender a maior quantidade de bebida possível para o cliente. Ele ingere de cerveja a uísque falsificado. Já embriagado, o homem é atraído para ir ao motel ou outro local pertencente à quadrilha.

Em pouco mais de uma hora, a mulher precisa estar pronta para atender um novo cliente. Não é isso que é prometido a ela quando recebe a proposta de trabalhar na boate, mas quando chega em suas novas instalações é que descobre a sua nova realidade. Ela precisa, conforme policiais que atuam nas investigações, pagar a sua estadia, alimentações e outros gastos, portanto já chega cheia de dívidas e grande parte do lucro é entregue aos donos.

“Ainda estamos com o inquérito em andamento, mas temos inúmeras testemunhas e estamos trabalhando na coleta de outras provas. E desde outubro de 2013, estamos com a suspeita dos crimes em novos locais. Soubemos até que uma das jovens foi obrigada a fazer programa com a perna quebrada e se aproveitou de uma saída para comunicar a polícia”, afirmou a delegada Ana Paula dos Santos Oruê, responsável pelas investigações.

Pouco efetivo

O combate de tais problemas, de acordo com o superintendente regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso do Sul (SRTE-MS), Anízio Pereira Thiago, seria mais efetivo caso não houvesse uma defasagem tão grande no número de auditores no estado.

“Nós temos apenas 38 auditores atuando, enquanto que o ideal seriam 260, segundo as normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Esse número provavelmente resolveria todas as adequações de registros na área urbana, principalmente com uma fiscalização direta e rigorosa”, avaliou o superintendente.

Na área rural, ao contrário, o Ministério Público do Trabalho (MPT) atua com parcerias. “Nós somos muitas vezes alertados por policiais civis e agentes comunitários de saúde, entre outras pessoas. Nós ainda contamos com dados de satélite, onde o georreferenciamento nos ajuda a constatar anormalidades. É o caso das carvoarias, por exemplo, que embora não sejam os mesmos escândalos do passado, há casos de migração do Paraguai, Bolívia e ainda pessoas que vêm do Haiti para trabalhar em projetos de reflorestamento, portanto a denúncia é fundamental para acelerar o processo de regularização dessas pessoas”, explicou Thiago.

G1
Prefeito de Corumbá pede licença do cargo para atuar  na campanha de Delcídio Prefeito de Corumbá pede licença do cargo para atuar na campanha de Delcídio

Paulo Duarte integrará a coordenação das ações do candidato petista ao Governo do Estado por 25 dias

Para integrar a coordenação de campanha do candidato ao Governo do Estado, Delcídio do Amaral (PT), o prefeito de Corumbá Paulo Duarte, também petista, se licenciará do cargo de 05 a 30 de agosto. O pedido já está sendo encaminhado à Câmara Municipal. “Esse período é muito importante pois se trata do início das ações do candidato em campo. É o ponta-pé da campanha”, disse.

Foto: Correio do Estado/Arquivo
Paulo Duarte se licenciará no dia 05 de agosto

Paulo explicou que a sua participação no grupo de trabalho – ele integrará também o Conselho Político de Delcídio – foi solicitado pelo candidato petista. “A coordenação da campanha é do professor Pedro Chaves (dos Santos Filho) e nós vamos colaborar de uma forma integrada com as equipes”, afirmou.

Além da atuação na área política dessa fase inicial da campanha, o prefeito de Corumbá terá envolvimento em outros setores, como na elaboração do programa de TV.

Paulo Duarte já atuou no Executivo e Legislativo. No Governo de José Orcírio Miranda dos Santos (Zeca do PT), foi secretário de Fazenda, Chefe da Casa Civil e secretário de Obras. Exerceu seis anos de mandato de deputado estadual (no segundo, ficou na Assembleia Legislativa por dois anos pois foi eleito prefeito de Corumbá).

No lugar de Paulo Duarte assume a vice-prefeita Márcia Raquel Rolon.

Segundo o prefeito, os trabalhos administrativos não sofrerão solução de continuidade: o pacote de obras lançado tem data prevista para entrega em setembro quando ele reassume o cargo.

Correio do Estado
Prefeitura de Corumbá, MS, abre concurso para 214 vagas e cadastro Prefeitura de Corumbá, MS, abre concurso para 214 vagas e cadastro

Cargos são para saúde pública municipal.
Salários variam de R$ 906,97 a R$ 6 mil.

A prefeitura de Corumbá (MS) abre, nesta segunda-feira (28), inscrições de concurso público para 214 vagas e cadastro de reserva em cargos da saúde pública municipal. Os salários variam de R$ 906,97 a R$ 6 mil.

Foto: Divulgação

No Diário Oficial de Corumbá de sexta-feira (25), é possível ver o edital.

Há vagas para os cargos de assistente social, auditor de serviços de saúde (enfermagem), auditor de serviços de saúde (farmácia/bioquímica), biólogo, cirurgião dentista, enfermeiro, farmacêutico, farmacêutico-bioquímico, fiscal de vigilância sanitária (enfermagem), fiscal de vigilância sanitária (farmácia/bioquímica), fisioterapeuta, fonoaudiólogo, gestor de serviço de saúde (arquitetura – engenharia civil – direito – administração – engenharia sanitária e/ou ambiental – ciências contábeis – tecnologia da informação), médico especialista (anestesiologia – gastrenterologia – ginecologia/obstetrícia – hematologia – infectologia – nefrologia – neurologista – neuropediatria – oftalmologia – oncologista – ortopedia – otorrinolaringologia – patologia – pediatra – pneumologia – psiquiatria – psiquiatria criança e adolescente – radiologia – reumatologia – saúde do trabalhador – ultrassonografia), médico plantonista (urgência e emergência), psicólogo e psicopedagogo.

Além disso, há oferta para auxiliar de consultório dentário II, técnico de serviços de saúde I (atendimento e recepção), técnico de serviços de saúde I, técnico de serviços de saúde II (tecnologia da informação), técnico de segurança no trabalho, técnico de serviços de saúde II (cuidador em saúde mental), técnico de laboratório, técnico de radiologia, técnico de enfermagem e técnico de serviços de saúde II (imobilização ortopédica).

As inscrições devem ser feitas entre 28 de julho e 10 de agosto pelo site www.fapec.org/corumba . As taxas são de R$ 120 (nível superior) e R$ 80 (nível médio).

A prova escrita será realizada em 24 de agosto, de manhã (cargos de nível superior) e à tarde (cargos de nível médio). Os horários e locais serão divulgados por meio de edital. A prova de títulos será realizada na tarde do dia 24 de agosto apenas para nível superior.

G1

Informação e Contato

O Jornal MS é focado em conteúdo de notícias gerais, políticas, policiais, automotivas, tecnológicas, serviços, entretenimento, esportes, além de vídeos compartilhados.

Notícias do Mato Grosso do Sul e do mundo!

Redes Sociais

Categorias mais populares